Sexta-Feira, 18 de Março de 2016, 11h:17

Tamanho do texto A - A+

Juiz concede liberdade a jornalistas acusados de extorsão

Por: RAYANE ALVES

Os jornalistas Max Feitosa Milas e Antônio Carlos Milas de Oliveira, acusados de praticar extorsão contra autoridades públicas, empresários e pessoas físicas com alto poder aquisitivo, conseguiram liberdade provisória na quarta-feira (16), em decisão do juiz Marcos Faleiros da Silva, da Décima Vara Criminal de Cuiabá.

 

De acordo com o documento, a prisão preventiva só é determinada quando as outras cautelares se mostram insuficientes ou inadequadas para o caso concreto. No caso dos jornalistas, o magistrado entendeu que não há motivos para imposição da prisão cautelar, uma vez que os delitos não possuem gravidade concreta, não foi cometido com violência ou grave ameaça à pessoa e os jornalistas são réus primário.

 

“Ademais, não há elemento que demonstra que o autuado se furtará da aplicação da lei penal, conturbará a colheita de provas ou ameaçará testemunhas”, diz trecho da decisão.

 

Ao conceder liberdade, Faleiros determinou que os acusados sujeitem-se ao compromisso de comparecer a todos os atos do processo sempre que forem intimidados e não mudar de endereço sem prévia autorização do juízo.

 

“Após cientificado das obrigações impostas, pelo autuado, foi dito estar ciente das consequências do não atendimento das exigências legais, comprometendo-se a comparecer em Juízo, ou fora dele, sempre que intimado”, afirmou o magistrado. 

 

CASO

Na operação, cinco jornalistas foram presos no dia 12 de março, por extorsão de autoridades públicas, empresários e pessoas físicas com alto poder aquisitivo. A prisão foi efetuada na operação denominada ‘Liberdade de Extorsão’, da Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), inserida na operação da Secretaria de Estado de Segurança Pública, Carga Máxima.

 

Quatro jornalistas do Grupo "Milas Comunicação", que administram os veículos de comunicação Centro Oeste Popular, Notícias Max e Brasil Notícias, foram presos por mandados de prisão preventiva. São eles: Antônio Carlos Milas de Oliveira, dono do Jornal Centro Oeste Popular, seus filhos Max Feitosa Milas, dono do Notícia Max, Maycon Feitosa Milas e o editor chefe do Brasil Notícias, com sede em Brasília, no Distrito Federal, Naedson Martins da Silva.

 

O delegado da Fazendária, Anderson Veiga, informou que todos os cincos jornalistas estão envolvidos em coação e extorsão de pessoas, principalmente agentes políticos importantes, empresários com contratos no poder público, os quais foram obrigados a pagar quantias vultuosas, entre R$ 100 a 300 mil, para não terem informações divulgadas nos veículos sobre supostas irregularidades em contratos administrativos, corrupção ativa e passiva, entre outras negociatas.

 

O grupo vinha agindo há vários anos. "O valor é variável, dependendo da capacidade econômica de cada vítima", disse o delegado.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto