Quinta-Feira, 06 de Abril de 2017, 17h:39

Tamanho do texto A - A+

João Emanuel tem 15 dias para pagar R$ 457 mil em ação de improbidade

Por: JESSICA BACHEGA

O juiz Luís Aparecido Bertolucci Júnior, titular da Vara Especializada Ação Civil Pública e Ação Popular determinou que o ex-vereador João Emanuel Moreira pague R$ R$ 427.855,36 decorrentes de condenação por improbidade administrativa. A multa deve ser paga no prazo de 15 dias sob pena de juros de 10% por atraso.

 

Marcos Lopes/HiperNotícias

João Emanuel/solto

 Ex-vereador João Emanuel

A decisão do magistrado foi publicada no Diário de Justiça Eletrônica (DJE) e é referente a sentença da juíza Celia Regina Vidotti que o condenou ainda em 2014 por conduta inadequada devido ao cargo público. Irregularidades estas investigadas na Operação Aprendiz. O valor arrecadado deve ser revertido para o Hospital do Câncer de Mato Grosso.

 

Consta nos autos que o ex-parlamentar a fim de angariar empréstimos oferecia imóveis de terceiros como garantia. Consta ainda que ele teria falsificado procuração dos verdadeiros donos dos terrenos.

 

Ao descobrirem o esquema, as vítimas acionaram a Justiça informando que não havia concedido autorização para que João Emanuel agisse em seus nomes. Os denunciantes são proprietários da empresa Neox Visual e gravaram conversa com João Emanuel, onde ele oferece a participação da empresa em esquema de licitação fraudulenta, onde eles teriam êxito e conseguiriam contratos junto a Câmara de Vereadores de Cuiabá.

 

Em troca do sucesso nas licitações, as vítimas não iriam reclamar do uso indevido de seus imóveis.

 

“No início do registro audiovisual do diálogo, é possível observar claramente que João Emanuel propõe à interlocutora Ruth, que a sua empresa gráfica (Neox Visual) participe em processos licitatórios fraudulentos junto à Câmera Municipal de Cuiabá, os quais poderiam render bom lucro, no intuito de convencê-la a não adotar as medidas judiciais hábeis a impugnar as fraudes perpetradas nas matrículas dos imóveis que lhe pertencem”, diz trecho do processo.

 

Narra a ação que depois o acusado ainda ofereceu compensação financeira de R$ 500 mil às vítimas. Sendo uma entrada de R$ 100 mil e o restante em parcelas mensais de R$ 50 mil. Proposta que não foi aceita pelas vítimas.

 

Atualmente João Emanuel está preso no Centro de Custódia da Capital (CCC) por força de mandados de prisão referente as Operações Aprendiz 1 e 2, Operação Assépsia, Castelo de Areia e improbidade.

 

Leia também:

Condenado a 18 anos, João Emanuel não pode recorrer em liberdade

Denúncia contra João Emanuel traz extorsão, grilagem, ameaça e desvio de verba pública

Empresária teria sido vítima de golpe do filho, afirma Eduardo Mahon

Agiota se contradiz em depoimento e Gaeco já tem provas contra vereador

João Emanuel garante existência de vídeo que o 'inocenta'

 

 

 

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto