Terça-Feira, 19 de Dezembro de 2017, 14h:49

Tamanho do texto A - A+

Dezesseis presos iniciam curso superior na Penitenciária Central

Por: REDAÇÃO

A aula inaugural do curso de Administração Pública na modalidade de Ensino à Distância (EAD) ocorreu na noite desta segunda-feira (18), na Penitenciária Central do Estado (PCE) e foi marcada pelas presença de reeducandos e autoridades. Com esta ação, o sonho de 16 reeducandos mato-grossense se torna realidade em cursar o ensino superior enquanto cumprem pena em regime fechado e traz a esperança de reinserção social.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

carubé/CRC

 

A iniciativa é ousada e corajosa, já que o projeto piloto é o primeiro no Brasil a ser realizado dentro de uma unidade prisional. O projeto Liberdade de Direito e de Fato foi idealizado pela direção da Penitenciária Central do Estado de Mato Grosso (PCE) para promover a ressocialização por meio da educação.

 

Isso só foi possível graças a um Termo de Cooperação Técnica, firmado entre o Conselho da Comunidade da Execução Penal de Cuiabá (Comepec), Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) e Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), que por meio da Universidade Aberta do Brasil (UAB) oferecerá o curso aos reeducandos da PCE.

 

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) estruturou o Conselho da Comunidade, que assegura a participação da sociedade na recuperação e reinserção social do detento para contribuir na formatação desse modelo de qualificação acadêmica por meio do EAD.

 

O juiz da Segunda Vara Criminal de Cuiabá e coordenador do Conselho da Comunidade da Execução Penal de Cuiabá (Comepec), Jorge Luiz Tadeu, disse que esta iniciativa é de uma importância ainda impossível de mensurar, tamanha a sua relevância. O magistrado agradeceu o empenho do presidente do TJMT, desembargador Rui Ramos Ribeiro em relação a esta ação. “O desembargador Rui Ramos não mediu esforços ao ficar sabendo do projeto, para ajudar em sua implantação na penitenciária. É um projeto desafiador, pioneiro, de gente que tem uma visão de futuro. Todos falam em ressocialização e muitos não sabem como começar. Penso que a educação de todos os níveis é o início de uma ressocialização. Se este projeto der certo, com certeza iremos expandir”.

 

Para a reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Mirian Serra esse é um momento histórico e falou da esperança depositada nesta ação. “Acreditamos que a educação tem esse papel de transformar, de trazer a dignidade e cidadania. Estamos esperançosos também de que esse projeto dê certo. É importante para que ele abra as portas para que outras pessoas tenham também essa oportunidade”.

 

O secretário-adjunto de Administração Penitenciária, Emanuel Flores destacou a importância de todos os parceiros envolvidos e salientou a reinserção social promovida por meio da educação. “Só foi possível concretizar a realização desse curso dentro da penitenciária graças a todos os nossos parceiros. Essa é a nossa maior unidade no Estado que passa a ter um projeto pioneiro no país. A reinserção social, seja através do trabalho ou do ensino formal, profissionalizante ou nesse caso, de graduação não se perderá e caso ele saia da unidade poderá concretizar o curso iniciado aqui”.

 

Uma realidade que será vivenciada pelo reeducando Nelson Alves da Silva Junior. Quando ele chegou na PCE tinha apenas o primeiro ano do Ensino Médio. Se dedicou, concluiu os estudos, fez o vestibular e com o segundo lugar hoje é um dos alunos que fará o curso de Administração Pública dentro da penitenciária.

 

“A expectativa é boa e estou muito feliz por mais essa oportunidade de ser mais um ponto de reinserção na sociedade. Para mim é de suma importância porque temos uma oportunidade de mostrar que somos capazes de sermos reintegrados na sociedade e isso dá mais vontade de seguir nosso caminho”.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto