Quarta-Feira, 16 de Maio de 2018, 14h:30

Tamanho do texto A - A+

Desembargador nega habeas corpus coletivo que daria liberdade a 18 mães presas em Cuiabá

Por: JESSICA BACHEGA

O desembargador Rondon Bassil Dower, do Tribunal de Justiça (TJMT), negou o habeas corpus coletivo, impetrado pela Defensoria Pública do Estado, para libertar 18 mães de crianças menores de 12 anos. As mulheres são de diferentes cidades e estão reclusas no Presídio Feminino Ana Maria do Couto, em Cuiabá.

 

Divulgação

maes presas

 

As acusações contra as presidiárias são por diferentes crimes e o pedido de liberdade tramita no Judiciário estadual desde o mês de março, após a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) que diz que as mães de crianças de até 12 anos pelas quais são responsáveis teriam direito a cumprir pena em regime domiciliar.

 

Na decisão proferida no dia 15 de abril, o desembargador informou que a negativa é necessária diante da falta de documentação sobre a situação de cada detenta. Que no dia 24 de abril foram solicitadas informações sobre os crimes cometidos por cada presa, a documentação das crianças entre outros danos para subsidiar a análise do pedido. Decorrido o prazo de 15 dias não foram atendidas tais solicitações. 

 

Dessa forma o magistrado indeferiu o pedido. “Diante da precariedade dos elementos trazidos com a impetração (a impetrante sequer se deu ao trabalho de juntar cópia das denúncias ou dos decretos preventivos!)”, diz trecho da decisão que determinou também a extinção do recurso.

 

Leia também

Defensoria Pública de MT protocola HC e pede liberdade para 18 mães presas em Cuiabá

Defensoria diz que 18 mães presas aguardam HC para prisão domiciliar desde março

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei