Terça-Feira, 12 de Fevereiro de 2019, 12h:00

Tamanho do texto A - A+

Defesa de Maluf pede que Rêmora seja julgada por Câmaras e não pelo Pleno

Por: LEONARDO HEITOR

A defesa do deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB) pediu ao desembargador Rondon Bassil Dower Filho, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), que fosse afastada a competência do Tribunal Pleno em julgar o processo da Operação Rêmora. O parlamentar defende que eles sejam julgados apenas pelas Câmaras Criminais Reunidas.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

guilherme maluf

 Maluf é acusado de integrar esquema de desvio na Educação

Maluf é réu em ação referente a Operação Rêmora, que investiga desvio de recursos públicos da Secretaria de Educação. A operação foi deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), em 2016.

 

O parlamentar foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPE) por organização criminosa, corrupção passiva e embaraçamento da investigação. A apuração mostra que 23 empresários participavam do cartel e tinham apoio de três funcionários da Secretaria de Educação e ajuda de mais um proprietário de construtora que agia como braço direito das negociações.

 

O esquema consistia em aprovar a contratação de construtoras, sem a realização de processo licitatório, mediante o pagamento de propina que 5% e 3% sobre o valor das obras.  Se a obra fosse de reforma em escola, era 5% de R$ 400 mil. Se fosse de construção de novas escolas, era 5% de R$ 5 milhões.

 

Maluf é um dos favoritos para a vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que pertencia ao ex-deputado estadual Humberto Bosaipo, destravada recentemente por uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1