Sexta-Feira, 23 de Março de 2018, 09h:51

Tamanho do texto A - A+

Após 22 anos na magistratura, juíza Selma Arruda ingressa com pedido de aposentadoria

Por: JESSICA BACHEGA

A juíza Selma Arruda, titular da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, protocolou pedido de aposentadoria ao Tribunal de Justiça (TJMT), nesta quinta-feira (22) após 22 anos dedicados à magistratura. Há rumores de que seu desligamento do Judiciário seria para ingresso na carreira política.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

juiza selma arruma

 Juíza Selma Arruda

Segundo o TJMT, o pedido será analisado por comissão que avaliará se há sindicâncias contra a juíza, se ela recebe outros proventos e a situação da magistrada de forma geral, perante o Poder Judiciário.

 

Após esta primeira analise, o pedido é encaminhado para o gabinete da presidência, onde será avaliado se Selma Arruda atende aos requisitos para aposentadoria. Preenchidas todas as exigências, o presidente Rui Ramos poderá assinar a aposentadoria da magistrada e o ato deve ser publicado em algumas semanas.

 

Histórico

 

A juíza Selma Arruda foi aprovada no concurso para juiz em abril de 1995 e assumiu o cargo em setembro de 1996. Desde 2003 ela atua em comarca de entrância especial.

 

A frente de uma das mais destacadas varas do fórum de Cuiabá, a magistrada passou a circular sob os holofotes após a deflagração da primeira fase da Operação Sodoma, na qual prendeu o ex-governador Silval Barbosa (sem partido) e seus secretários Pedro Nadaf e Marcel de Cursi, em setembro de 2015. 

 

Depois das prisões, houve desdobramentos da Sodoma e deflagração de outras operações que culminaram da detenção de políticos de alto escalão como José Riva, o advogado e ex-secretário de Silval, Francisco Faiad, Pedro Elias, Cesar Zílio, o ex-procurador Francisco de Andrade Lima e outros nomes de destaque no cenário político estadual.

 

Em entrevistas anteriores a juíza afirmou que pretendia se aposentar esse ano e que não descartava disputar eleições para um cargo no Poder Legislativo.

 

A juíza responde a uma sindicância no TJ, após denuncia do advogado Francisco Faiad que a acusa de quebra do código de ética da magistratura. O jurista foi preso na quinta fase da Operação Sodoma suspeito de integrar organização criminosa liderada por Silval.

 

A reportagem do HiperNotícias tentou contato com a juíza, mas ela não atendeu as ligações.

 

Leia também

Sindicância de Francisco Faiad contra Selma Arruda será julgada em 9 de novembro

"Não descarto a hipótese de tentar alguma coisa na política", diz juíza Selma Arruda

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto




2 Comentários

Carlos Nunes - 23/03/2018

Se for candidata ao Senado...terá o meu voto, com certeza. Precisamos renovar o Congresso Nacional, colocando uma nova safra de pessoas, que comecem a escrever uma nova página na história política do Brasil...e a Juíza faz parte dessa nova safra.

Critico - 23/03/2018

Interessante magistratura 22 anos de trabalho nos demais, 35. Brincadeira né. Eita paisinho de desigualdades.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA