Quinta-Feira, 11 de Janeiro de 2018, 09h05
REUNIÃO NA CASA CIVIL
Professores pedem que governador pague juros por atrasar salário

REDAÇÃO

O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) foi convidado para uma reunião na tarde de quarta-feira (10) com a Casa Civil e a Secretaria de Estado da Educação, para ser comunicado que os 40 mil servidores da Educação não receberão dentro do limite previsto na Constituição Estadual, que é o dia 10 do mês subsequente.

 

Da assessoria

hENRIQUE SANTOS

 Reunião ocorreu na quarta-feira (10) na Casa Civil de MT

Na reunião, o Governo pediu compreensão do Sintep/MT e solicitou que o Sindicato fizesse uma proposta para que fosse firmado um acordo. Neste mês, os salários foram pagos por secretaria, com prioridade para as secretarias de Saúde, Segurança e Justiça e Direitos Humanos. Ainda não foi anunciada a data para os pagamentos, mas o governador Pedro Taques afirmou que a intenção é pagar até a próxima segunda-feira (15).

 

“Nunca celebraremos um acordo para que o governo possa descumprir a legislação e, com o atraso dos salários, deverão ser pagos juros. Já é sabido que todo ano as arrecadações caem no primeiro trimestre, porém, mas uma vez o Governo não se planejou e irá afetar os educadores e educadoras próximo ao início do ano letivo. O que se vê é a falta de prioridade”, afirma o presidente do Sintep/MT, Henrique Lopes.

 

Segundo informações passadas pelo secretário-chefe da Casa Civil, Max Russi, dos 100 mil servidores (ativos e inativos), os 30 mil aposentados receberam na terça-feira (09), e dos 70 mil ativos, 40 mil são trabalhadores da Educação e ficaram para a segunda etapa de pagamento juntamente com os servidores das secretarias de Fazenda, Planejamento, Gestão, Gabinete de Comunicação e Gabinete do Governador. 


Fonte: HiperNotícias - Você bem informado
Visite o website: http://hipernoticias.com.br