Terça-Feira, 14 de Novembro de 2017, 15h00
NINHO TUCANO
"Não é possível que ele não possa ouvir críticas", diz Leitão sobre Taques

PABLO RODRIGO

O deputado federal Nilson Leitão (PSDB) voltou a comentar o desentendimento que teve com o governador Pedro Taques (PSDB). Sem comentar a possibilidade de Taques deixar a legenda, Leitão disse que o correligionário não aceita "críticas".

 

Alan Cosme/HiperNoticias

nilson leitao/caravana de tangara

 O deputado federal Nilson Leitão (PSDB) busca viabilizar sua candidatura ao Senado em 2018

"O problema é que temos um descontentamento em alguns setores e o governador tem que entender que há descontentamento, inclusive dentro do partido. Não é possível que ele não aceite críticas", disse o parlamentar. "Existe um descontetamento, principalmente na área da saúde, que é grave. E foi levantado na reunião do partido e o governador ficou chateado com a crítica que foi feita sobre o tema", completou.

 

Nilson Leitão também lembrou que Taques se mantém distante da legenda e das lideranças tucanas. "Ele nunca se aproximou do partido. Ele se filiou em 2015 e já em 2016 deixou de apoiar várias candidaturas do PSDB. Então, ele não pode reclamar desses prefeitos", pontua Leitão. "Mas o PSDB sempre foi muito fiel a ele o tempo todo. A bancada estadual e federal sempre o apoia", diz.

 

"Há um descontentamento dos dois lados. Do partido e do governador que acha que o PSDB tem que defender mais o governo. Cobra muito do partido, mas não tem essa participação efetiva que nós gostaríamos que ele tivesse", disparou o deputado federal.

 

Para Nilson Leitão, Taques tem que aprender a conviver com críticas internas, já que segundo ele, isso sempre foi muito comum no ninho tucano. "Alguns líderes no Brasil acham que partido é só para servir. E não é, partido é ônus, é cada um de nós. Partido não serve ao governo. Ele aplaude o que está certo e critica o que está errado. É assim que funciona.  Tem que respeitar a posição de todos".

 

Sobre a possível saída de Taques do PSDB, Leitão não quis comentar e disse que esse assunto ficará com a presidência da legenda, que está com o ex-vereador Paulo Borges.

 

"Eu não conversei mais com o governador. Mas se ele está dizendo que pode sair, ele que tem que chamar o partido e explicar o que está acontecendo. Agora esse assunto quem trata é o Paulo Borges, que assumiu a presidência. Eu não sou mais presidente. Agora se o partido sentar com ele e quiser me chamar, nós vamos conversar. Eu estou à disposição. Partido é isso é diálogo", disse Leitão.

 

O governador Pedro Taques, que está participando da Conferência do Clima (COP-21) na Alemanha, comunicou que só tratará deste assunto na próxima semana em reunião com o seu grupo político.

 

Taques e Leitão entraram em rota de colisão, após a direção estadual tucana aprovar a pré-candidatura do deputado federal para o Senado em 2018. Taques vem buscando nos bastidores uma chapa com o ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP) e o ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes. O ex-senador Jayme Campos também é cotado para ser vice nesta "chapa dos sonhos".


Fonte: HiperNotícias
Visite o website: http://hipernoticias.com.br