Quinta-Feira, 20 de Abril de 2017, 09h20
PARQUE SERRA RICARDO FRANCO
Oposição diz que decisão de suspender decreto tem influência do ministro Eliseu Padilha

RENAN MARCEL/PABLO RODRIGO

O deputado estadual Allan Kardec (PT) acredita que houve influência do governo federal na edição do decreto legislativo que sustou a criação do Parque Estadual Serra de Ricardo Franco.

Alan Cosme/HiperNoticias

allan kardec

 

 

Apresentado pelas lideranças partidárias, o decreto foi aprovado em primeira votação na sessão dessa quarta-feira (19), antes da realização de audiências públicas, que virão no mês seguinte.

 

Localizado na divisa entre o município de Vila Bela da Santíssima Trindade e o Parque Nacional Noel Kempff, na Bolívia, o parque Ricardo Franco tem 158, 6 mil hectares. Parte dessa terra está ocupada por fazendeiros e produtores, entre eles o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha.

 

Kardec defende que o ministro seja um dos convidados a participar da audiência pública que vai ser realizada pela Assembleia Legislativa, no dia 8 de maio. “Se ele tem terras dentro de um parque ecológico, que ele venha aqui também se explicar”, disse o deputado, após a sessão em que houve a votação do decreto.

 

O ministro da Casa Civil Eliseu Padilha tem fazendas dentro do Parque Ricardo Franco. Ele e sua esposa, Maria Eliane Padilha, tiveram os seus bens bloqueados no valor de R$ 38,2 milhões por crime de danos ambientais.  A Justiça de Mato Grosso tinha determinado no início de dezembro do ano o bloqueio de R$ 949 milhões dos representantes de 51 propriedades rurais, localizadas no interior do Parque Estadual. 

 

A votação em que suspende o decreto ocorreu nesta quarta-feira (19) durante a sessão vespertina. Alguns deputados disseram que a decisão tinha o apoio do governo federal, o que gerou polêmica durante a sessão.

 

Segundo o líder do governo estadual, deputado Dilmar Dal’Bosco (DEM) o decreto legislativo foi necessário porque na época em que o parque foi criado, durante a gestão do ex-governador Dante de Oliveira, não houve uma ampla discussão sobre o assunto. E produtores já estavam ocupando a região.

 

“A criação de um parque, de uma reserva no estado de Mato Grosso, ela tem trazer uma ampla discussão. Não houve na época da sua criação um debate amplo que pudesse contemplar um debate amplo ou ter visto em loco a realidade daquele parque”, disse o democrata após a votação.

 

Outros defensores da medida foram os deputados Wilson Santos (PSDB) e José Domingos Fraga (PSD). Durante a sessão, o tucano ressaltou a importância da audiência pública como forma de ouvir tantos os produtores locais, quanto os biólogos e defensores da preservação do parque. Zé Domingos, pro sua vez, destacou o lado dos produtores.

 

“São mais de 70 produtores, que estão lá há mais de trinta anos. Ou você diminui a área, que é de proteção integral e não pode ter nenhuma atividade econômica que mexe com o meio ambiente, ou você muda a classificação para uso sustentável, para que os produtores possam continuar desenvolvendo as suas atividades econômicas”, discursou da tribuna.


Fonte: HiperNotícias
Visite o website: http://hipernoticias.com.br