Quarta-Feira, 19 de Abril de 2017, 09h40
ÚLTIMA CARTADA
Silval tenta delação e presta depoimento de seis horas no Ministério Público

PABLO RODRIGO

O ex-governador Silval Barbosa (PMDB) prestou depimento por mais de 6 horas nesta terça (18) ao Ministério Público Estadual (MPE) na tentativa de firmar acordo de delação premiada junto ao órgão. A série de depoimentos que Silval vem fazendo está sob responsabilidade da promotora de justiça Ana Cristina Bardusco Silva, que atualmente coordena o Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (CIRA) no Estado.

 

Marcos Lopes/HiperNotícias

Lançamento de Livro/A Pátria de Chuteiras/Aldo Rebelo/Silval

 Silval Barbosa, ex-governador de Mato Grosso, está preso desde setembro de 2015

Silval Barbosa vem prestando depoimentos junto ao MP estadual desde março, referentes às operações e investigações das quais é tido como o principal mentor e líder.

 

Os longos depoimentos do ex-chefe do Palácio Paiaguás se deve ao fato de que os promotores exigem muito mais do que já se sabe por conta das investigações e ações que já estão em andamento.

 

"O Silval está falando tudo o que sabe e o que pode provar. Essa decisão é a última cartada que ele tem. E ele está falando e está dizendo que pode provar tudo. Então vamos aguardar os depoimentos e depois avaliar se procedo e se as provas que ele diz ter, condiz com os fatos. Só depois disso que vamos avaliar a possibilidade da proposta de colaboração premiada", disse um membro do Ministério Público ao Hipernoticias.

 

"Agora isso pode levar tempo porque ele [Silval] também está prestando depoimentos junto ao Ministério Público Federal (MPF). Pode ser que tenhamos que fazer uma espécie de força tarefa colaborativa com o MPF para que possamos trocar informações e a partir daí iniciarmos o processo de investigação de novas denúncias e a comprovação de outras", explicou.

 

Os depoimentos do ex-governador também deverão ser analisados pelo Naco - Núcleo de Ações de Competência Originária, por conta do envolvimento de pessoas com foro privilegiado, como deputados estaduais, prefeitos e vereadores.

 

Já os depoimentos ao MPF, envolveria deputados federais e senadores, além de ligações nacionais junto ao PMDB e PT.

Alan Cosme/HiperNoticias

promotora ana bardusco

 Promotora Ana Bardusco, coordenadora do Cira, que faz parte do Ministério Público

 

Além dos depoimentos serem referentes às cinco fases da Operação Sodoma que apura desvios de recursos do erário por meio de cobrança de propina de empresários em troca de incentivos fiscais e fraudes em licitações e sobre a Operação Seven na qual é investigada a compra em duplicidade de uma área rural na região no Lago do Manso, por R$ 7 milhões, Silval também vem revelando outras articulações nada republicanas que ocorreram no tempo em que foi vice-governador e governador do Estado (2007-2014).

 

A defesa do ex-governador Silval Barbosa vem negando publicamente os depoimentos e a intenção de se firmar um acordo delação premiada junto ao MPE e MPF.

 


Fonte: HiperNotícias
Visite o website: http://hipernoticias.com.br