Domingo, 30 de Abril de 2017, 10h:00

Tamanho do texto A - A+

Zé Dog completa 29 anos de história e investe no ramo de hamburgueria

Por: CAMILLA ZENI

“Tudo o que você fizer, faça com vontade, com toda a sua força”. É assim que Zé Dog, o vendedor de cachorro quente mais famoso de Cuiabá, explica o sucesso de seu empreendimento. Há 29 anos saciando a fome de pessoas vindas de todos os cantos da cidade, seja à noite ou na madrugada, o empreendedor decidiu que já é hora de se ramificar e anunciou a abertura de sua nova hamburgueria.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

ze dog

Zé Dog atribui sucesso à trabalho duro e perseverança

No ano em que comemora seus 50 anos de vida, José de Souza, o Zé Dog, também celebra quase três décadas do seu empreendimento, hoje consolidado no ramo. Com um simples carrinho localizado na Praça Clóvis Cardoso, entre a Avenida Isaac Póvoas e a Rua 24 de Outubro, seus cachorros quentes atraem clientes de todas as idades e de todos os cantos. Para ele, o sucesso dos cachorros quentes que vende tem, principalmente, duas razões: “É Deus em primeiro lugar, e perseverança”.

 

“Você ter materiais de primeira linha é primordial. Mas também, tudo o que você fizer, faça com vontade, com toda a sua força”, manifestou o microempresário. Para ele, a qualidade dos materiais que usa ajuda na conquista dos clientes, mas não é suficiente para se consolidar, é preciso muito trabalho e amor ao que faz.

 

A mesma dedicação ao trabalho diário que fez o sucesso de Zé Dog será disposta ao novo empreendimento do empresário: a Zé Burger. A hamburgueria, que se localiza próximo ao ponto do cachorro quente, é um desejo antigo e há muito projetado por Zé, que aguardava o momento ideal para apostar no novo ramo.

 

Apesar do novo estabelecimento, Zé Dog garante aos amantes do cachorro quente de praça que o carrinho vai continuar no mesmo lugar, com a mesma qualidade no preparo do alimento. "É um ambiente adicional. Eu vou continuar na praça. Sempre quis ter outro negócio, mas não pra eu tocar. Então essa hamburgueria vai ser tocada pela Mônica", afirmou.

 

Mônica de Souza é filha do Zé, que tem, ainda, outro filho. A jovem se formou em gastronomia em 2016 e contou que sempre gostou de cozinhar. “Eu ajudava a minha avó, que fazia pães e doces”, disse. Agora, ela e o noivo Alessandro serão os responsáveis manter a linha de sucesso do pai.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

ze dog

 Zé Burger aposta no ambiente diferenciado para agradar público

A hamburgueria, que também se localiza na Avenida Isaac Póvoas, em frente à uma casa de festas, tem um espaço de, aproximadamente 180m². No local, um ambiente moderno e aconchegante foi projetado pelo trio empreendedor, a fim de garantir o prazer e a satisfação do cliente.

 

Os móveis, coloridos, ornam com o estilo da casa, e as paredes foram preenchidas com marmorato, dando um acabamento especial ao local. Espalhados entre as paredes estão painéis desenhados pela artista Cláudia Prado. Neles, os clientes encontram caricaturas e parte do cardápio.

 

A cozinha industrial, onde os produtos são produzidos, fica na parte dos fundos da hamburgueria. No entanto, a cozinha de finalização, onde os hambúrgueres serão fritos e os lanches montados, foi projetada para ser parte do ambiente também. Exposta através de um vidro, logo atrás do balcão, o cômodo é relacionado à transparência do processo de produção. "As pessoas poderão ver o manuseio do lanche", explicou Zé, manifestando sobre qualidade do serviço e confiança do cliente.

 

“Fizemos o ambiente pela boca do povo. O nosso termômetro é o cliente", disse Mônica. Ela explicou que o processo de elaboração do ambiente foi pensado com base no público que sempre compareceu à praça, pedindo por um espaço. Segundo Zé Dog, o projeto arquitetônico da hamburgueria não demorou a ficar pronto, uma vez que a família já tinha um planejamento sobre o que queriam para o lugar. Os móveis foram projetados exclusivamente para o espaço, e os maquinários foram comprados na própria Capital, para facilitar, com excessão de uma máquina de sorvetes, que ainda não foi entregue no estabelecimento. 

 

O cardápio já está preparado e foi montado por Mônica e Alessandro. "Fomos testando as receitas até gostarmos dos sabores", explicou a jovem. No local serão vendidos seis tipos de hambúrgueres montados, além de uma opção para o cliente montar o próprio lanche. Além disso, eles também colocaram à disposição, no menú, os dois tipos de cachorro quente vendidos na praça. Os clientes também irão encontrar uma variedade de doces, como carolinas, tortas de limão e cinco tipos de brigadeiro (tradicional, nutella, beijinho, leite ninho e frutas vermelhas). 

 

Para garantir o sucesso do espaço, eles apostam na mesma clientela para consolidar a hamburgueria. "Levamos em consideração o sucesso que a gente já tem na praça há 29 anos. Então, a gente aposta que será sucesso aqui também”, finalizou Mônica. 

 

A abertura da casa ainda não tem data. Segundo Zé Dog, eles estão dependendo apenas da entrega da máquina de sorvete, uma vez que tudo mais já está no seu devido lugar. Agora, resta apenas a ansiedade para saber se o novo ramo irá, ou não, cair nas graças dos clientes.

 

O caminho do sucesso

Alan Cosme/HiperNoticias

ze dog

 Hamburgueria deve ser tocada por Mônica de Souza, filha de Zé Dog

Um vendedor de cachorro quente na praça da cidade que obteve sucesso e, 29 anos depois, consegue expandir os negócios não é uma história que se estampa os jornais diariamente. Assim como, também, tal fato não aconteceu da noite para o dia. E Zé Dog é quem o diga. "Tudo na vida funciona assim: não existe você plantar de manhã e colher à tarde".

 

José de Souza, hoje com 50 anos, chegou em Cuiabá aos 19 anos, em 1986. Vindo de Curitiba, o jovem rapaz se fixou na cidade por um único motivo: o calor. "Aqui não fazia frio, então eu pensei: é aqui eu eu vou morar. Eu odeio frio", revelou Zé. Desde que chegou, Zé já trabalhou em diversos serviços. 

 

Há 29 anos, porém, era em uma locadora de vídeos, localizada na própria praça Clóvis Cardoso, que ele trabalhava. Aos 21, Zé fazia um "bico" na locadora em troca de um colchão para dormir. Ali mesmo, o jovem, que já contava com o espírito empreendedor, instalou um carrinho de cachorro quente na porta. "O movimento era pouquíssimo", lembrou Zé. "Eu vendia ai 12 ou 15 lanches por dia. Foi um ano vendendo assim". Segundo ele, as vendas só registravam uma melhora nos finais de semana, quando, em alguns domingos, chegava a vender entre 35 e 40 lanches. Atualmente ele chega a vender três mil cachorros quentes por mês. 

 

Com o passar do tempo, dia após dia, o número de clientes foi aumentando, e Zé pode dedicar-se apenas à venda de cachorros quentes. Foi com os lanches da praça que o empreendedor sustentou a família e bancou os estudos de todos. Sua esposa chegou a fazer duas faculdades, de Análise de Sistemas e Administração. Ele, revezando entre a cozinha e e a universidade, se formou em Direito, área em que pretende trabalhar no futuro.

 

Segundo Zé, sua inspiração vem de empresários experientes, que, mesmo com idade suficiente para aposentar, continuam na ativa, tomando conta de suas empresas. Um deles, é Abílio Diniz, que gerencia o grupo BRF e é dono do grupo Carrefour. "Agora eu não tenho tempo para ser advogado, mas, no futuro, vou fazer meu escritório", disse o vendedor. "A vida vai até 120 anos”, brincou.

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto