Sexta-Feira, 14 de Dezembro de 2018, 14h:50

Tamanho do texto A - A+

Espetáculo cuiabano que discute racismo é selecionado em concurso nacional do Itaú

Por: KHAYO RIBEIRO

O espetáculo teatral “Encardidos”, produzido pelo grupo Atro da MT Escola de Teatro, foi selecionada no concurso nacional “Itaú Cultural”. A peça, que teve a estreia recente, ainda no mês de setembro, foi escolhida dentre 230 outros espetáculos e desponta como a única selecionada do Centro Oeste.

 

Divulgação

Encardidos

Grupo Atro

“Encardidos” foi escolhido na convocatória “a_ponte – Cena do Teatro Universitário” e fará parte da mostra do instituto no próximo ano.

 

Além da peça dos estudantes da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), outros 14 projetos foram selecionados no concurso. O produtor do espetáculo Manoel Vieira conta que diversas fotos e o próprio roteiro foram submetidos à curadoria do Itaú, que contemplou “Encardidos” no rol dos escolhidos na última quarta-feira (12).

 

Em quatro atos performativos, a peça desnuda a experiência pessoal dos atores com o racismo, enquanto contam suas narrativas em uma relação de submissão e poder. “É um espetáculo que vem ao encontra à temática dos corpos desviantes, isto é, aqueles que não se adequam aos papeis sociais convencionais”, completa Manoel.

 

Com uma equipe de nove pessoas, a peça realizou seis apresentações desde sua estreia. Nesse ínterim, o espetáculo ganhou o primeiro lugar no 12º Festival de Teatro Velha Joana, em Rondonópolis (214 Km de Cuiabá).

 

A equipe de “Encardidos” é composta por: Daniele Souziel e Maycon Castrovicky na atuação; Priscila Freitas na iluminação; Lysabeth Reis e Edilson Oliveira na sonoplastia; Jane Klitzke no figurino, Manoel Vieira na produção, Naiane Gonçalve no cenário e Lucas Gerônimo na fotografia. O grupo misto é formado por estudantes de diferentes turmas da escola de teatro.

 

Para o futuro, a equipe aposta em alcançar novos públicos. “A gente planeja novas apresentações aqui na cidade, para mostrar para as pessoas que elas não estão sozinhas em suas vivências. Mas também pensamos em atingir outros públicos, levando o espetáculo para o interior do estado”, finaliza o produtor.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei