Domingo, 16 de Dezembro de 2018, 14h:00

Tamanho do texto A - A+

Editora lança livro em homenagem à primeira prefeita de Várzea Grande

Por: KHAYO RIBEIRO

Sendo a primeira prefeita de Várzea Grande, vereadora mais votada do município e mãe de três filhos, Sarita Baracat será homenageada por meio de um livro biográfico, que será lançado de forma gratuita no próximo dia 18, às 19h, na Praça de Alimentação do Várzea Grande Shopping. A obra, da editora Entrelinhas, foi escrita com a ajuda da própria gestora pouco antes de sua morte aos 86 anos, em 09 de outubro de 2017.

 

Wilson Pires

Sarita Baracat

 Professora e gestora Sarita Baracat

“Uma forma de relembrar às novas gerações sobre quem construiu o passado de Mato Grosso. Filha de imigrantes sírios, ela foi uma mulher que rompeu as barreiras da sociedade, mostrando para todos que o impossível era possível”, aponta a autora Neila Maria Souza Barreto sobre o livro, que será lançando em parceria com a Prefeitura de Várzea Grande.

 

Com abertura musical de Sônia Mazzeto, o evento contará, ainda, com declamação de poesia de Cassyra Vuolo.  

 

O livro é um relato documental da gestora que dava preferência ao título de professora sobre qualquer outra função. “Ela foi muitas coisas durante a vida, ocupou muitos cargos, mas era ser professora o que, de longe, a dava mais orgulho”, adiciona Neila.

 

Quando questionada a respeito da estrutura do livro, a autora adiantou ao HiperNotícias que a obra estabelece um paralelo empolgante entre a vida privada e a pública da gestora: “O início da obra é com o pai de Sarita vindo da Síria. Esse primeiro momento já expressa a carga de dificuldades que viriam a atravessar toda a vida dela”.

 

O “passeio” pela vida de Sarita mostrará ao público a história da primeira prefeita de Várzea Grande, cargo esse que só viria a ser ocupado novamente por uma mulher em maio de 2015, por Lucimar Campos.

 

Divulgação

Sarita Baracat lançamento livro

 Material de divulgação do livro de Sarita Baracat

“Ela foi prefeita, mas também foi outras coisas. Ela foi a vereadora mais votada, foi deputada estadual, foi professora, título que ostentava com orgulho, foi advogada, trabalhou na contabilidade do Tribunal de Contas do Estado (TCE), mãe e, até, rainha do time de Várzea Grande”, aponta Neila.

 

“Ela dizia sempre ‘Será que eu vou ver esse livro pronto?, eu falava que ia. Quando finalizamos a obra, dentro de mais ou menos duas semanas ela faleceu”, lamenta a autora.

 

Com orgulho de ter sido escolhida para escrever a obra, Neila Barreto finaliza lembrando que Sarita se mostra atual pela sua bravura e sabedoria frente as dificuldades: “Enquanto eu reunia as informações para a obra e via aquelas atas de discurso, eu percebi a dureza com a qual os homens a tratavam, mas, acima de tudo, vi também a natureza diplomática da Sarita em lidar com as situações.”

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei