Segunda-Feira, 15 de Maio de 2017, 10h:53

Tamanho do texto A - A+

Grampo à role

Foram inúmeras as pessoas grampeadas sem qualquer justificativa plausível

Por: LUCIANO PINTO

 

Marcos Lopes

Luciano Pinto

 

“O presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, juntamente com o presidente da seccional do Mato Grosso, Leonardo Campos, cobraram nesta sexta-feira (12) que o Poder Executivo local explique-se publicamente acerca das denúncias de escutas ilegais envolvendo diversos profissionais – inclusive advogados – sem qualquer justificativa respaldada em lei.” É a principal notícia no sitio virtual do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil.

 

Os fatos são graves, muito graves. A arapongagem pantaneira toma corpo, mostrando que Mato Grosso está muito longe de ter superado os casos envolvendo corrupção no poder público.

 

Foram inúmeras as pessoas grampeadas sem qualquer justificativa plausível. Essa é a suspeita, objeto de denúncia do Ministério Publico Estadual. A investigação atualmente está em Brasília, na Procuradoria Geral da República.

 

Os fatos são tão graves não apenas pela prática da barriga de aluguel – quando em investigações em curso, inserem números de telefones de outras pessoas, sem qualquer relação com o caso. Isso já é um absurdo. O mais curioso é saber quais foram os telefones indevidamente grampeados. Advogados, políticos, jornalistas e até uma potencial amante, todos sem qualquer relação com a investigação sobre tráfico de drogas.

 

O governo nega; e nega, usando a famosa tática da desconstrução, tentando denegrir seu acusador. Sobre as denúncias...pois é, apenas um simples ‘vamos apurar’. Talvez o resultado seja outro daquele anterior arquivamento.

 

Segundo as informações da mídia, esses grampos ilegais ocorrem desde 2014, exatamente quando o atual governador disputava a cadeira que hoje ocupa. Curiosamente, os grampeados eram todos adversários do então candidato, atual chefe do executivo estadual. O advogado, Dr. Patrocínio, um dos grampeados, vê fraude nas eleições. Isso merece uma apuração muito minuciosa, inclusive por parte da Polícia Federal, órgão investigatório competente nas questões envolvendo Eleições.

 

Coincidência ou não, o advogado do governador, e até quinta feira seu Chefe da Casa Civil, inesperada e apressadamente saiu do Governo. Não deu tempo nem de escolher direito o substituto de função pra lá de importante na estrutura da administração pública.

 

Agora, nesse exato momento, são mais perguntas do que respostas. Ninguém sabe o que vai acontecer. Todos os protagonistas tentando se antecipar aos fatos e seus efeitos. Porém, uma certeza, tem caroço nesse angu.

 

Sem dúvida alguma, vamos acompanhar!

 

*LUCIANO PINTO é advogado do escritório LP Advocacia.  Email: luciano@lpadvocacia.com.br

Avalie esta matéria: Gostei +9 | Não gostei