Terça-Feira, 12 de Setembro de 2017, 14h:42

Tamanho do texto A - A+

Taques reconhece falta de reajuste em salário, mas ameaça cortar ponto

Por: CAMILLA ZENI

Em entrevista à rádio Mega FM, na noite de segunda-feira (11), o governador Pedro Taques (PSDB) afirmou que irá cortar o ponto dos servidores que participarem da greve do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), iniciada ontem pela manhã, e que considera a greve dos funcionários um movimento político. Ele aguarda decisão judicial.

 

Assessoria

detran greve

 

A greve dos servidores começou após diversas tentativas de conversa com o governo. Conforme a presidente do Sindicato dos Servidores do Detran (Sinetran-MT), Daiane Renner, a entidade aguarda resposta do Poder Executivo quanto ao reajuste da tabela de salários dos funcionários, que não é atualizada desde 2011.

 

Em relação à paralisação, Taques destacou que se mantém tranquilo e ressaltou que sua administração “não negocia com servidores em greve”. Apesar disso, disse que reconhece o direito dos funcionários, desde que não seja ideológica ou política. “A eleição do sindicato do detran é dia 26 agora. Esta greve é política”, alegou o governador.

 

Pautando-se em jurisprudência, Taques afirmou que irá cortar o ponto dos grevistas e condenou a postura de servidores recém empossados. “O Supremo Tribunal Federal já decidiu que pode cortar ponto e nós cortaremos o ponto. Servidor em estágio probatório não pode fazer greve e nós temos 200 servidores que chamamos há três, quatro meses que já estão em greve. Vamos determinar o corte de ponto se a greve for considerada ilegal”.

 

O movimento de greve teve adesão das 71 unidades do Detran, espalhadas pelo estado, que suspenderam a prestação de serviço. Ao todo, cerca de 90% do quadro de servidores do órgão paralisaram as atividades.

 

A pauta da atualização da tabela é antiga e foi justificativa para a greve anterior, que durou 72 dias. O governador afirmou ter ciência do fato. “É lógico que os servidores ficaram sem aumento na gestão passada, mas isso está sendo negociado com os servidores”, informou.

 

Já Daiane ressaltou que outras secretarias do governo tiveram leis aprovadas a seu favor, enquanto os servidores do Detran são os que permanecem a mais tempo sem reajuste. Ainda conforme a presidente, o governo enviou ofício informando que não tem condições de fazer a mudança no pagamento pretendida pelo Sindicato em razão da crise econômica.

 

Enquanto o governo não apresenta proposta para ser votada pelos servidores, a categoria permanece em greve por tempo indeterminado, com redução na prestação dos serviços.

Avalie esta matéria: Gostei +9 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto