Domingo, 08 de Janeiro de 2017, 16h:46

Tamanho do texto A - A+

Policiais são presos em flagrante ao cometer crime de extorsão em Várzea Grande

Por: REDAÇÃO

Dois policiais, sendo um civil e outro Militar, foram presos em flagrante por crime de extorsão, concussão e associação criminosa na noite de sexta-feira (6) no bairro Costa Verde, em Várzea Grande.  Além dos servidores da segurança pública, uma terceira pessoa foi detida em flagrante pelo crime. 

 

HiperNotícias

POLICIA

 

De acordo com informações da Polícia Militar, que foi acionado por um sobrinho da vítima, três homens, se passando como policiais civis, chegaram em um carro de cor vermelha e entraram em uma casa, proibindo os verdadeiros donos da casa de adentrarem ao local.

 

Quando a Polícia Militar chegou, os moradores da região disseram que o trio chegou exigindo R$ 1.500 e logo entraram na casa, não deixando mais ninguém entrar na residência.

 

De imediato uma viatura com o oficial de área chegou no endereço indicado e fizeram a detenção do trio. Eles foram identificados como R.J.S.A (PM), M.C.A (PJC) e M.H.M. 

 

Na delegacia eles negaram o fato e falaram apenas que estava na casa de um conhecido. Porém, a vítima que foi subordinada reconheceu o trio e disse que eles estavam com os R$ 1.500. Na revista pessoal os policiais não encontraram o dinheiro, mas em uma vasculho mais minucioso no carro em que os suspeitos estavam foi encontrado o dinheiro que teria sido levado da casa.

 

Os detalhes ou supostos motivos da extorsão não foram divulgados, mas a polícia que o local seja uma boca de fumo ou casa de algum traficante que eles estariam indo buscar "o pagamento", porém desta vez outras pessoas estavam na casa e denunciaram o ato dos policiais e do terceiro envolvido, que também se passou como policial. 

 

De imediato, na Delegacia de Várzea Grande, os policiais receberam voz de prisão e o policial militar foi levado ao 10º Batalhão da PM onde permanece preso. O policial civil foi encaminhado ao Centro de Custódia de Cuiabá. O terceiro envolvido está no Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), antigo Carumbé. 

 

Uma sindicância será aberta, tanto na PM como na PJC para apurar a atuação dos profissionais. 

 

 

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto