Terça-Feira, 12 de Novembro de 2013, 11h:52

Tamanho do texto A - A+

PF e Ibama prendem coreanos por crime de biopirataria

O delegado que acompanha o caso afirma que a retirada indevida e sem autorização de plantas era destinada para uma empresa americana de cosméticos.

Por: DA REDAÇÃO






Uma equipe da Polícia Federal de Barra do Garças (PF) e do Ibama prendeu quatro coreanos dentro do Parque Nacional do Xingu. Eles são acusados de praticar crime de biopirataria. Segundo a polícia, eles colhiam amostras de plantas do parque.

Três homens e uma mulher foram encaminhados para a sede da PF na cidade na tarde de segunda-feira. Eles foram autuados por furto de patrimônio genético pertencente à União.

O delegado que acompanha o caso afirma que a retirada indevida e sem autorização de plantas era destinada para uma empresa americana de cosméticos.

Carlos Gomes - TV Cidade

PF e Ibama prendem coreanos por crime de biopirataria

Biopirataria é a exploração, manipulação, exportação ou comercialização internacional de recursos biológicos.

O antigo Parque Nacional Indígena do Xingu foi criado em 1961 pelo então presidente brasileiro Jânio Quadros, tendo sido a primeira terra indígena homologada pelo governo federal.

Seus principais idealizadores foram os irmãos Villas Bôas, mas quem redigiu o projeto foi o antropólogo e então funcionário do Serviço de Proteção ao Índio, Darcy Ribeiro.
A área do parque, que conta com mais de 27 000 quilômetros quadrados (aproximadamente 2 800 000 hectares, incluindo as terras indígenas Batovi e Wawi), está situado ao norte do estado de Mato Grosso, numa zona de transição florística entre o Planalto Central e a Floresta Amazônica.

A região, toda ela plana, onde predominam as matas altas entremeadas de cerrados e campos, é cortada pelos formadores do Rio Xingu.


(Com informação da Agência da Notícia)
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto