Segunda-Feira, 29 de Maio de 2017, 16h:14

Tamanho do texto A - A+

Motoristas de ônibus querem 15% de reajuste salarial e não descartam greve

Por: JESSICA BACHEGA

Os motoristas do transporte coletivo, que atuam em Cuiabá e Várzea Grande, se reúnem em assembleia nesta terça-feira (30)  para debater a proposta de reajuste salarial oferecida pelos empresários aos funcionários. A greve não está descartada.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

onibus

 Foto ilustrativa

O presidente do Sindicato dos Motoristas do Transporte Coletivo, Edval Luiz Pereira,  desmente boatos de que a categoria irá iniciar movimento paredista já nesta terça, mas pondera que a possibilidade de uma futura greve não está descartada e será definida na reunião.

 

“Iremos nos reunir em assembleia amanhã e decidir sobre essa contraproposta apresentada pelos donos das empresas. Queremos reajuste salarial da data base de maio e também plano de saúde”, explica o sindicalista.

 

Conforme Edval, os trabalhadores querem um reajuste salarial de 15%, no entanto, os empresários afirmam que só irão pagar o valor proporcional à inflação, que é de 4%. Não foi apresentada proposta sobre o plano de saúde.

 

Cuiabá e Várzea Grande contam, hoje, com cerca de 3500 motoristas que atendem às linhas que circulam pelas cidades. No dia 28 de abril, os trabalhadores do transporte coletivo aderiam à greve geral que se estendeu pro todo o país e não saíram das garagens por 24 horas, obrigando as pessoas a ficarem suas casas ou buscarem outra alternativa de transporte para cumprir seus aferes.

 

Leia também

Após dia de greve, ônibus voltam a circular meia noite deste sábado

Adesão dos motoristas à greve geral deixa 300 mil sem ônibus em Cuiabá

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto