Sábado, 12 de Agosto de 2017, 15h:56

Tamanho do texto A - A+

Médico Marcelo Sandrin dá dicas para evitar problemas de saúde devido ao tempo seco

Por: CAMILLA ZENI

Agosto é um mês considerado “crítico” por natureza, em razão dos baixos índices de chuvas, que contribuem para o aumento de queimadas e da poluição. Cuiabá, por sua vez, também é conhecida pelo intenso calor diário. Diante do quadro, o HiperNotícias foi atrás de dicas para ajudar a amenizar as doenças e ajudar a população a se manter mais hidratada.

 

Edson Rodrigues/HiperNotícias

Marcelo Sandrin

Médico Marcelo Sandrin dá dicas para cuidados com o tempo seco

O médico Marcelo Sandrin conversou com a equipe de reportagem sobre os problemas mais comuns nessa época do ano. “Nós notamos uma constante piora das condições climáticas com o passar do tempo. Além disso, a devastação, a qual tem sido submetidas as matas, a destruição dos rios, têm comprometido demais a umidade relativa do ar”, explicou.

 

Para o clínico, este é o tempo considerado “mais agreste para o corpo humano”. “Você tem que tomar cuidados extrematicos com a sua pele, porque é seu protetor”, destacou o médico, lembrando da intensidade dos índices de raio ultravioleta, que chegou ao nível 9 nesta sexta-feira.

 

Em razão do nível alarmante, não é recomendada exposição no sol por tempo superior a 15 minutos. Além disso, o médico recomenda a utilização de protetor solar com o máximo de fator possível. “Tem que estar passando sempre. Óculos escuros também são necessários”, destacou. Apesar de não haver chuvas no período, a sombrinha e guarda-chuva devem estar sempre a mãos. “É muito importante que a gente valorize os cuidados com a pele. Porque ela vai envelhecer, vai ter muito mais chance de ter câncer e ela vai acabar lesada”, pontuou.

 

Conforme o pedido de alguns internautas, o HiperNotícias questionou ao médico sobre qual é a melhor forma de hidratação neste período. “Rios de água”, manifestou. No entanto, é necessário tomar cuidado com a super hidratação, principalmente idosos, crianças e aqueles que não podem água em grande quantidade, como deficientes renais e pacientes com insuficiência cardíaca.

 

Para o ambiente, os umidificadores de água também são boas opções. No entanto, o médico destaca um jeito mais viável de resolver o problema: “é o velho toalhão molhado. Você só vai ter o trabalho de, quando em quando, ver se está seco e umidificá-lo de novo”, comentou.

 

Confira o vídeo:

Avalie esta matéria: Gostei +6 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto