Terça-Feira, 09 de Abril de 2019, 16h:42

Tamanho do texto A - A+

Mãe pede doações de medula óssea para filha de cinco anos que sofre com leucemia

Por: KHAYO RIBEIRO

A menina Sophia Vitória Gonçalves da Silva Miranda, de apenas cinco anos, ainda nem chegou à vida escolar e já enfrenta uma batalha diária. Diagnosticada com leucemia há dois anos, a criança e sua família tiveram um lampejo de esperança no final de 2018, quando os exames da pequena Sophia apontavam para uma melhora em seu quadro clínico. Todavia, o cenário de mudanças positivas foi mais curto do que os familiares esperavam, e agora a menina reinicia a luta contra a doença no sangue. Diante da situação, Rosângela Gonçalves da Silva, 39 anos, mãe de Sophia, apela àqueles que possam ajudar sua filha com doações de medula óssea.

Arquivo Pessoal

Sophia Vitória Gonçalves da Silva Miranda

 Sophia Vitória Gonçalves da Silva Miranda, cinco anos

Ao HiperNotícias, a mãe contou sobre as complicações na saúde da menina e reforçou o pedido de ajuda. Ela, que sonha com um futuro no qual a filha vá à escola como todas as outras crianças, disse ter esperança que o pedido alcance o maior número possível de pessoas, a fim de que a filha receba a medula óssea necessária para melhora do quadro médico.

“É difícil, ficamos sem chão quando descobrimos. Mas acreditamos em Deus, colocamos nele nossa esperança”, comentou a mãe. À reportagem, Rosângela disse que, por vezes, a filha é o ponto de apoio central da família. A confiança da criança, segundo a mãe, “é o que dá forças para continuar a jornada”.

O caso  

Em março de 2016, quando tinha apenas dois anos e dez meses, Sophia começou a sofrer com uma série de dores abdominais. Preocupada com a situação, a mãe da menina deu início a uma caminhada que, de forma inesperada, traria uma nova rotina para toda a família.

Entre visitas a hospitais e diagnósticos pouco precisos, Rosângela lamenta ao relembrar que uma maior atenção médica poderia ter influenciado de forma diferente o futuro da filha.

“Foram uns cinco meses desde que tudo começou até descobrirmos que era leucemia. No começo, eu procurei vários médicos, mas eles sempre me diziam as mesmas coisas. Falavam que era uma infecção no sangue e passavam antibiótico”, conta a mãe.

Em julho de 2016, data do diagnóstico de leucemia, a doença já havia até mesmo impedido a menina de se locomover. À época, a família deu início ao tratamento de Sophia, que se mostrou positivo até dezembro de 2018.

Arquivo Pessoal

Sophia Vitória Gonçalves da Silva Miranda

 Rosângela Gonçalves da Silva, 39 anos, à esquerda, e Sophia, à direita

Todavia, em fevereiro de 2019, quando foram realizados os exames para verificar a cura da criança, os resultados apontaram para um caminho inesperado. A leucemia da menina não só havia voltado, como se apresentava mais resistente que antes e já teria, até mesmo, comprometido o sistema nervoso central.

Diante do quadro de Sophia, a quimioterapia foi retomada no último domingo (07).

Doar salva vidas

O tratamento químico ministrado na criança impede o recebimento das doações de medula óssea por alguns dias. Porém, a mãe apela para que as pessoas se cadastrem como doadores no Hemocentro de Cuiabá, a fim de que a criança, assim que estiver apta, já receba as doações.

A mãe finaliza informando que há muitas outras pessoas precisando de doações. Assim, mesmo que o material recolhido seja incompatível com Sophia, outras vidas podem ser salvas com a doação.

Aqueles que tiverem qualquer tipo de dúvida ou, ainda, quiserem falar com algum membro da família podem entrar em contato com a tia de Sophia, Patrícia, pelo número (65) 9.9646-8870.

Avalie esta matéria: Gostei +6 | Não gostei - 3