Sábado, 09 de Junho de 2018, 14h:09

Tamanho do texto A - A+

Hospital Geral representa MT em programa do Ministério da Saúde

Por: REDAÇÃO

O Hospital Geral de Cuiabá (HG), foi o único hospital de Mato Grosso a ser selecionado pelo Ministério da Saúde, para participar do projeto nacional de excelência: "Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil", através do Programa de Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS).

 

Divulgação

Hospital geral universitario - HGU

 

O Proadi é desenvolvido em parceria com o Institute for Healthcare Improvement e tem como objetivo orientar os profissionais de saúde dos 120 hospitais selecionados quanto às melhores práticas para o cuidado da segurança do paciente nos hospitais que atendem ao Sistema Único de Saúde.

 

O projeto tem como principal objetivo reduzir em 50% nos primeiros 18 meses as infecções relacionadas à saúde no país, entre elas infecção na corrente sanguínea associada ao uso de Cateter Venoso Central; pneumonia associada à ventilação mecânica; e a infecção do trato urinário. Além disso, reduzir em 0% a taxa de infecção hospitalar em três anos. Com o novo projeto em execução, pretende-se evitar cerca de 8.500 acidentes adversos seguidos de morte por ano nas UTIs dos hospitais participantes.

 

A medida prevê também uma redução de R$ 1,2 bilhão de gastos com tempo de permanência dos pacientes nos leitos e com a utilização de insumos. O projeto terá duração de três anos e os 120 hospitais serão divididos em grupos coordenados por seis hospitais de excelência no Brasil: Albert Einstein, Sírio Libanês, Beneficência Portuguesa de São Paulo, Hospital do Coração, Oswaldo Cruz e Moinhos de Vento.

 

Para o enfermeiro controlador de Infecção Hospitalar do HG, Isaac Bono a participação do hospital neste projeto trará muitos benefícios. "Precisamos do envolvimento de todos os colaboradores. Vamos capacitar toda a equipe do HG para serem parceiros eficazes e envolver também os pacientes e familiares nesse trabalho".

 

A diretora Assistencial do HG, Caroline Moura destacou a relação custo-benefício com o desenvolvimento do projeto dentro do HG. " Quanto mais eficiente a aplicação do programa na instituição teremos mais pacientes atendidos com menos dias de internação, mais economia, representando aquisição de mais equipamentos e reformas no hospital, entre outros benefícios", explica.

 

A coordenadora do projeto no HG, Larissa Farias Figueiredo garante que é motivo de orgulho o Hospital Geral ter sido o único hospital de Mato Grosso ser  escolhido para participar do projeto. "Foram mais de três mil hospitais públicos inscritos em todo o Brasil. Isso prova que o nosso hospital está no caminho certo. Vamos aperfeiçoar o que já temos de bom, trabalhar melhor e de forma mais criativa, com soluções criativas, como já vem acontecendo nas UTIs e em diversos setores do HG", comenta.

Avalie esta matéria: Gostei +5 | Não gostei - 2