Terça-Feira, 07 de Agosto de 2018, 14h:56

Tamanho do texto A - A+

HGU paralisa UTI e cirurgias eletivas são canceladas

Por: KHAYO RIBEIRO

Desde o início da paralisação da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), na última segunda-feira (06), 25 cirurgias já foram canceladas no Hospital Geral Universitário (HGU). A falta de recursos fez com que o hospital paralisasse a UTI e cancelasse as cirurgias eletivas, ainda não há precisão para retomada dos procedimentos. 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

HGU

 

Segundo a assessoria do HGU, os atendimentos foram suspensos por conta da falta de repasses por parte da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). “A verba da SES-MT deve ser repassada pela SMS, só que isso ainda não aconteceu”, afirma a assessoria. 

 

“O hospital está sem recursos para realizar o pagamento dos fornecedores e dos insumos, que são os materiais utilizados nos procedimentos”, conta a assessora. Segundo ela, a prefeitura de Cuiabá está devendo R$ 2.264.000,00 para o hospital, esse dinheiro seria destinado ao pagamento das dívidas pendentes.  

 

Dados do relatório do HGU informam que o hospital realiza entre 300 e 450 atendimentos por dia. Mesmo com a paralisação da UTI, os atendimentos de consulta nos ambulatórios continuam acontecendo normalmente. 

 

A assessoria informou, ainda, que a prefeitura já contactou o hospital marcando uma reunião para esta tarde, "ontem, nós haviamos dado um prazo de 24 horas para eles nos darem uma resposta".

 

O outro lado

 

Segundo a assessoria da SMS, a secretaria teria recebido o dinheiro para o repasse na última quinta-feira (02) e o depósito foi feito na sexta-feira (03). Pelo fato de a transação ter sido realizada no final de semana, o dinheiro só caiu na segunda-feira (06). "Foram pagos cerca de 600 mil reais, referentes aos leitos de UTI até o mês de maio. Ainda estão em aberto os leitos de UTI dos meses de junho e julho, porque a SMS está aguardando o repasse estadual, além dos Incentivos Municipais", afirma a assessoria. 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei



1 Comentários

Carlos Nunes - 07/08/2018

Primeiro foi a Santa Casa que fez as denúncias, agora o Hospital Geral diz a mesma coisa...atrasaram os repasses pros Hospitais Filantrópicos. Também pudera, Saúde não é Prioridade...todas as nossas "otoridades" não são clientes do SUS. Quando ficam doentes pegam um avião e vão tratar num grande Centro com especialistas. SUS é pra pobre, e o Datena já disse: Pobre só é importante na hora do voto...depois vira triste estatística. Aqui em Cuiabá mesmo, outro dia, uma senhora humilde levou um tombo em casa, teve traumatismo craniano, precisou urgentemente de uma UTI e não tinha vaga. Como doença não espera vaga de UTI aparecer...MORREU. Mais uma? Quantas milhares, e talvez milhões de pessoas já morreram no Brasil por falta de vaga em UTI? Aqui sobra dinheiro pros políticos encherem bolsos, pastas e até caixa de papelão, com pacotes de dinheiro...mas não sobra pra Saúde salvar vidas. Alguma coisa tá errada nessa estória. Pra passar a mão tem dinheiro, pra curar pessoas não tem? Até quando vai acontecer isso? Até aprendermos a votar melhor?

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA