Quarta-Feira 22 de Fevereiro de 2017
pesquisas

Terça-Feira, 03 de Janeiro de 2017, 16h:24

Tamanho do texto A - A+

WS faz vídeo dando volta de VLT no RJ

O secretário de Estado de Cidades, Wilson Santos (PSDB), postou um vídeo andando no Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) do Rio de Janeiro. Nas imagens, ele está acompanhado da esposa Adriana Bussiki.  Vídeo abaixo. 

 

Wilson tem como prioridade destravar as obras do VLT em Cuiabá e Várzea Grande que estão paralisadas há dois anos. Até o momento, o secretário não dá prazo para a retomada da construção e negocia com o consórcio de empresas os valores para tocar a obra. 

 

De férias no Rio de Janeiro, WS volta a Cuiabá nos próximos dias com uma série desafios para este ano, principalmente, no que diz respeito à retomada do VLT.

 

Veja o vídeo postado por Wilson na sua página do facebook. 

 

 

">

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1








6 Comentários

Carlos Nunes - 06/01/2017

Caro Sr.Ador, há certo tempo a mídia revelou o caso mais estranho que está lá no Supremo há muito tempo...trata-se do fato do Gugu Liberato ter rifado uma cueca do ator Thiago Lacerda, para arrumar dinheiro pró hospital do Câncer de Barretos. Depois o ator disse que nunca tinha doado cueca nenhuma, e processou o Gugu. A mídia informou que essa ação no Supremo já ultrapassou 1 Milhão de reais de pedido de indenização. Puxa vida! Como uma cueca vale pra burro no Brasil! Sugiro então, que o senhor contrate um bom advogado, e entre com uma ação sobre os itens que já mencionou em vários sites: a propaganda enganosa do governo sobre a passagem do VLT na Ilha da Banana; as Declarações que o IPHAN/MT distribuiu à vontade para vários moradores, e agora diz que elas não valem o que está escrito; o artigo 2º da Instrução Normativa; e outras coisas. Se uma cueca que não significa nada, vale 1 Milhão de reais; quanto será que vale um assunto mais sério? Ou será que neste país da inversão de valores, cueca valha muito mais? A pátria amada Brasil já chegou no fundo do poço; hoje depende de delatores premiados para fazer a limpeza moral do país; e dos sonegadores para fazer a repatriação do dinheiro que esconderam e mandaram pra fora do país. Aí, a gente só pode dizer uma coisa no pé do ouvido dessa gente toda: para os delatores, CONTEM TUDO! SALVEM O BRASIL! E para os sonegadores, TRAGAM TODO O DINHEIRO! POR FAVOR! E para o Sr. Ador, lute pelos seus direitos. Datena diz sempre que o direito da cidadania começa com o endereço do cidadão...moro em tal Estado, em tal cidade, na Rua tal, número tal. Sou um cidadão brasileiro. Aqui não é comunismo; se fosse estávamos ferrados...lá na China o jovem Jia ia casar, quando o governo desapropriou seu terreno, demoliu sua casa; Jia protestou até na internet, e o governo comunista chinês fuzilou o Jia. Essa estória foi narrada há pouco tempo no Msn. O site Olhardireto, no olharconceito, mostra uma cartomante médium, que já previu: VLT não sai nos próximos 2 anos. Não precisa nem ser vidente pra saber que, existe uma lista de prioridades muito mais importantes do que o VLT, nos 141 municípios de MT...VLT ficou supérfluo, nessa época das vacas magras. Já pensou se o VLT não sai, nem agora, nem nunca, e os moradores da Ilha da Banana vem suas casas serem demolidas por nada? Ai, o VLT vai ser o maior 171. Foi Golpe para conseguir uma área no Centro da Cidade, em frente do maior patrimônio histórico de Cuiabá, a Igreja de São Benedito, pagando pouquinho pra cada morador.

Benedito Addôr - 06/01/2017

Agora o IPHAN Nacional passou a bola para o IPHAN/MT, e este começa a dizer que está tudo certo, podem derrubar as casas em frente à Igreja do Rosário numa boa, mesmo não atrapalhando a passagem do VLT, que vai passar onde fica o Centro Comercial Morro da Luz, atrás das casas. Apesar de ter dado Declarações, desde 1994, dizendo que as casas tinham proteção especial; infelizmente não pode mais perguntar mais para o proprietário mais antigo da área, Sr. Josep Catalani, dono do imóvel da Casa Singer, que durante um tempão queria demolir o imóvel e fazer um moderno, para aproveitar o ótimo ponto comercial, mas foi sempre impedido, por causa do patrimônio histórico. A alegação do IPHAN/MT é que é área de Entorno; então vou pedir que todos os advogados, juristas de Cuiabá, por favor, examinem o texto do Artigo 2º da Instrução Normativa, que regulamenta todo o patrimônio histórico de Cuiabá (único que fala em preservação de imóveis): A Preservação do Conjunto Arquitetônico, Urbanístico e Paisagístico da Cidade de Cuiabá e DO SEU ENTORNO, será Assegurada pela proteção, conservação, manutenção e revitalização das características culturais da cidade....formando assim o conjunto (área tombada e ENTORNO) objeto de preservação física. O IPHAN/MT bate na mesma tecla que por ser área de ENTORNO, as casas podem ser demolidas; contrariando o Artigo 2º, que inclui também o ENTORNO. Já pedi para vários advogados, professores de Universidade, analisarem o texto desse Artigo, e todos informaram que o ENTORNO também foi englobado na Preservação Assegurada. Somente seriam demolidas se o VLT, fosse passar exatamente onde os imóveis se encontram; não existisse o Centro Comercial Morro da Luz, atrás das casas, que permite fazer os trilhos do VLT tranquilamente. As Declarações do IPHAN/MT, que 5 moradores da área possuem, dizem que o imóvel faz parte do Conjunto Arquitetônico, Urbanístico e Paisagístico da Cidade de Cuiabá, estando sujeito as Normas constantes na Instrução, cujo assunto cai exatamente no Artigo 2º, o único que fala em Preservação Assegurada, não fala em Destruição. Teriam que ter tirado o E DO SEU ENTORNO da Instrução, pois enquanto estiver ali, vale o que está escrito, ou não vale? Na segunda feira vou perguntar de novo ao MPF: Numa Instrução Normativa vale o que está escrito? Funciona ou não funciona? Ou o que está escrito não vale nada? Estou me atendo ao texto da Instrução; as próprias Declarações do IPHAN/MT; e a propaganda oficial do VLT, que demonstra que as casas não atrapalham a passagem do VLT. Um dos advogados que examinou o Artigo 2º, depois de ter-lhe entregue um cópia, depois de uma semana, respondeu: "de acordo com esse Artigo, fica claro que O ENTORNO está incluído na Preservação Assegurada dos imóveis; esse Artigo foi muito bem feito, e é a prova de políticos. Político é quem tenta desvirtuar o que está escrito." Ainda bem que não sou político. Nem o Calero é, pois brigou com o homem forte do Governo, quando viu coisa errada.

Carlos Nunes - 05/01/2017

Puxa vida! Alguém teria que explicar pró WS a enorme diferença entre o Rio de Janeiro e Cuiabá...lá a cidade tem mais de 6 MILHÕES DE HABITANTES, portanto tem uma superdemanda para ter VLT; aqui em Cuiabá, segundo dados do IBGE, agora é que Cuiabá chegou aos 580 MIL HABITANTES, portando tem ainda uma demanda insuficiente. Pergunta pra qualquer prefeito do Rio, se lá tivesse só 580 Mil habitantes, eles fariam VLT? Pergunta pró Crivella. Eu já sei a resposta dele...vamos cuidar primeiro da Saúde, da Educação, dos mil problemas sociais que a cidade tem, depois, se sobrar dinheiro (NÃO VAI SOBRAR NADA) a gente mexe com VLT. Quem será que vai encher os bolsos com o VLT? Eis a questão. Alguém vai encher o bolso até fofar. Quem? Querem torrar 900 Milhões de reais (quase 1 BILHÃO); tudo emprestado para nós pagarmos as parcelas depois. Dá medo deixarem abrir Cuiabá de ponta a ponta. Só 900 Milhões não vai dar, pois obra bem feita custa caro, é demorada e é difícil de fazer. Será que vamos cair na mesma pegadinha do Silval, que aparecia na TV, dizendo: podem deixar que, com 1 BILHÃO E 400 MILHÕES, termino o VLT antes da Copa começar. Essa obra do VLT completa vai custar é 900 Milhões de reais vezes 2 ou quase 3. O Dr. Ruy Ohtake, especialista em VLT, já disse: vai demorar mais de 4 anos. Não adianta fazer obra marca vote, daquelas que fazem, e aí os entendidos olham e dizem VOTE, quem é que fez essa porcaria! Em pouco tempo, esfacela, afunda, desaba, desmorona, igual à ciclovia do Rio, que não aguentou nem uma ondinha do mar, e matou dois brasileiros. Vote!

Benedito Addôr - 05/01/2017

Estou gostando do IPHAN Nacional, acabei de receber via E-mail informações de que estão tomando providências. Na oportunidade encaminhei o seguinte caso para eles decifrarem, que eu até agora não entendi patavina: 1) o governo só desapropriou as casas em frente à Igreja do Rosário, e quer demoli-las por causa de Autorização do IPHAN/MT; foi o IPHAN que autorizou; está dizendo que está dando um Parecer Técnico; 2) mas possuo uma Ata de Reunião entre a Secopa e o IPHAN/MT, de 22 de novembro de 2012, conseguida pelo Defensor Público, Ayr Praeiro, onde o IPHAN/MT participa da Elaboração do Projeto para demolir as casas. Em cima do Decreto Estadual nº 1.250, de 16 de julho de 2012, que desapropriava somente o Centro Comercial Morro da Luz, por onde realmente vai passar o VLT. 3) as casas somente foram desapropriadas, com autorização do IPHAN/MT, em 21 de dezembro de 2012, por meio do Decreto nº 1.510. Um mês após a reunião entre a Secopa e o IPHAN/MT; será que o IPHAN/MT participou até da elaboração do Decreto que desapropriou as casas? Da demolição das casas, é inegável que participou, pois a Ata da Reunião não deixa dúvidas. Qualquer Parecer do IPHAN/MT nesta circunstâncias não é IMPARCIAL; já está envolvido direta ou indiretamente no assunto. É como se tivesse recebido uma ordem politica. Aquele tipo de ordem que o Dr. Calero protestou até contra Ministro importante. Pelo menos o IPHAN Nacional é rápido nas respostas, diferente do Governo do Estado que sumiu com a minha reclamação na primeira vez; e no segundo encaminhamento arquivaram sem dar nenhuma resposta - é como os advogados já me alertaram, contra provas não há argumentos; ou do MPE que arquivou o Inquérito Civil Público, que investigava tudo isso em 5/12/2016, pelo Conselho Superior do Ministério Público.

Benedito Addôr - 05/01/2017

Em se tratando do VLT, quero informar que, orientado por advogados, ontem formalizei uma Reclamação ao IPHAN Nacional, referente à autorização que o IPHAN/MT deu ao governo do Estado para demolir as casas, localizadas em frente à Igreja do Rosário, Ilha da Banana. Foram encaminhadas ao IPHAN Nacional: 1) cópia da propaganda oficial do VLT, que consta no Youtube, VLT CUIABÁ-VÁRZEA GRANDE MATO GROSSO, que demonstra que as casas não atrapalham a passagem do VLT; 2) informação de que 5 proprietários (incluindo eu) possuem Declarações do IPHAN/MT, que dizem que os imóveis fazem parte do Conjunto Arquitetônico, Urbanístico e Paisagístico da cidade de Cuiabá, estando sujeitos às exigências e restrições regulamentado pela Instrução Normativa; 3) ênfase ao Artigo 2º da Instrução Normativa que diz: a Preservação do Conjunto Arquitetônico, Urbanístico e Paisagístico da cidade de Cuiabá E DO SEU ENTORNO, será Assegurada pela proteção, conservação, manutenção e revitalização das características culturais da cidade....formando assim o conjunto (área tombada e ENTORNO) objeto de Preservação Física; 4) coloquei-me a disposição do IPHAN Nacional para prestar outros esclarecimentos que forem necessários e mostrar outras provas. O IPHAN Nacional informou que dará uma resposta em 10 dias; destaquei a urgência do caso, considerando que o Wilson Santos já prepara Licitação para demolir todas as casas. Vou anexar, segunda feira essa Reclamação ao Inquérito Público Civil do MPF, que acompanha todo esse caso, desde que lhe fiz uma Reclamação. Deveria também anexar ao Inquérito Público Civil que existia no MPE, mas este, através do Conselho Superior do Ministério Público, em 5/12/2016, arquivou o assunto; apesar que alguns Conselheiros destacaram que esse assunto deveria ser mais investigado (eu estava lá e presenciei isso). Não entendi por que o MPE arquivou esse Inquérito? O MPE não respondeu as perguntas que formulei: Instrução Normativa que regulamenta todo o patrimônio histórico de Cuiabá, funciona ou não funciona? Declarações do IPHAN/MT tem fé pública, valem o que está escrito e assinado; ou não valem, como nós os cuiabanos dizemos, um pequi furado? Propaganda do Governo que mostra uma coisa, e vão fazer outra, é Enganosa ou não? Os advogados consultados aconselharam a, antes de entrar uma ação indenizatória junto ao IPHAN, ou ao governo do Estado, procurar resolver amigavelmente, com base nos documentos e em fatos reais. Apesar de eu já estar incluído no Estatuto do Idoso, o que daria rapidez a qualquer processo que mova, é melhor resolver numa boa. O IPHAN Nacional tem que entrar no caso, e tirar todas as dúvidas, colocar as coisas no seu devido lugar. O Dr. Calero brigou até contra Ministro para que a Instrução Normativa da Bahia fosse cumprida; não passou por cima da Instrução.

Carlos Nunes - 03/01/2017

Resta saber Qual deles? O Elétrico igual do Silval ou o NOVO VLT MAGNÉTICO, que gasta só um terço da energia do elétrico. Na campanha eleitoral do Crivella, ele visitou as instalações do Magnético, mais econômico, e que nem precisa abrir toda a cidade, pois com o Magnetismo ele fica mais leve, e economiza até para fazer Alicerce, fica mais barato. Enquanto alguns olham pra trás, pró fantasma do Silval, o VLT espanhol; outros, o novo prefeito do Rio olha pró futuro. Por que será que o WS tá louco para torrar mais de 900 Milhões de Reais, na obra do VLT do Silval? Dizem que já emprestaram o dinheiro, para nós pagarmos as parcelas depois...brevemente do empréstimo. É, os políticos passam, e as parcelas ficam para a gente pagar - NA MARRA, mas paga. Eu, se fosse autoridade, colocaria o Exército para tomar conta do dinheiro; quase 1 Bilhão. Cachorro mordido por cobra, tem medo até de linguiça. Depois que os executivos da Odebrecht abriram o bico lá, e o Guizardi e o Malouf abriram o bico aqui, não sei não. Onde tem muito dinheiro, tem que vigiar; tem que ficar com um olho no peixe e outro no gato.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA
Nó de Cachorro

Nó de Cachorro

'Papelão' barra jogo

Não é pedra no sapato

Meia-entrada

CBF veta tricolor

Mais Notas

Últimas Notícias

Mais Lidas

Mais Comentadas