Sexta-Feira, 11 de Agosto de 2017, 14h:45

Tamanho do texto A - A+

Funcionários públicos de Leverger sofrem com nova falta de pagamento

Por: CAMILLA ZENI

Os funcionários da prefeitura de Santo Antônio do Leverger (distante cerca de 30 km de Cuiabá) estão, novamente, sem receber salário. Alguns profissionais, como os da Educação, já estão com o pagamento atrasado há dois meses. A prefeitura, novamente, alega problemas com o caixa.

 

Arquivo Pessoal

santo antonio

 Servidores param atividades nesta quinta para reinvindicar salários

Na manhã de quinta-feira (10), um grupo de servidores se reuniu na porta da Prefeitura para tentar buscar soluções junto ao chefe do Executivo municipal, Valdir Pereira (PSD) . No entanto, não foi recebido pelo gestor.

 

Conforme a presidente da subsede do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público (Sintep-MT), Claudinete Magalhães da Silva, um representante da prefeitura marcou um encontro com o grupo para a próxima terça-feira (15). No entanto, ela se mostra desacreditada. "O problema é que eles (a Prefeitura) não informam nada, não recebem ninguém. Foi marcada reunião e depois eles remarcam. Dessa vez, o prefeito também não recebeu. Disse que vai conversar na terça-feira”, desabafou.

 

Há pouco mais de um mês, o HiperNotícias relatou a mesma situação vivida pelos profissionais da educação. À época, uma professora chegou a comentar que ficou quatro meses sem receber. Pouco depois da reportagem, a prefeitura regularizou a situação dos educadores. Agora, o descaso voltou. “É uma situação que está se tornando comum”, lamentou Claudinete.

 

A prefeitura tem informado aos profissionais que está com caixa inflado, em razão de contratações extras que foram feitas no início do ano. Com isso, não haveria verba para os pagamentos. O que a representante do Sintep questiona, no entanto, é que as pastas da Educação e da Saúde possuem orçamentos separados, o que derrubaria a justificativa do Executivo municipal.

 

“Nesta quinta se reuniram várias classes, da Saúde, de Obras, era gente de todas as secretarias. Conversamos com o pessoal da saúde e eles não têm nem condições básicas de trabalho. Então, caso não se resolva, os professores também podem aderir ao movimento”, comunicou Claudinete. 

 

Segundo a professora, atualmente há cerca de 150 profissionais da educação ligados a rede municipal de Santo Antônio do Leverger. "Muitos não têm nem como se alimentar", observou. No entanto, ela não soube precisar quantos estão com o salário atrasado. 

 

De acordo com Claudinete, os profissionais também devem buscar apoio junto a Câmara dos Vereadores, que ainda não se posicionou sobre o assunto. Caso nada seja resolvido nos próximos dias, a representante do Sintep informou que os funcionários deverão acampar na sede da prefeitura.

 

Outro lado

A reportagem tentou contato com a Prefeitura de Santo Antônio do Leverger nesta quinta e sexta-feira, mas não conseguiu falar com o prefeito.

 

Leia também:

Professores de Santo Antônio de Leverger estão a mais de dois meses sem salário

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto