Terça-Feira, 27 de Dezembro de 2016, 09h:19

Tamanho do texto A - A+

Farmacêutica da PCE é flagrada com celulares que seriam entregues ao Comando Vermelho

Por: MAX AGUIAR

Agentes do Núcleo de Inteligência dos Sistema Penitenciário flagraram nesta segunda-feira (26) uma funcionária da farmácia da Penitenciária Central do Estado (PCE) entrando com celulares que seriam distribuidos para membros do Comando Vermelho, maior facção criminosa instalada dentro de presídios em Mato Grosso.

 

Reprodução/HiperNoticias

celular na PCE

 

Segundo informações do diretor do presídio, Roberval Barros, a carga com dois celulares smartphones e três carregadores estavam sendo levados quando ela fazia a entrega de remédio para presos da unidade.

 

"Recebemos a informação anônima de que uma loira, servidora da farmácia da penitenciária, estaria sendo a responsável por passar os celulares aos membros do Comando Vermelho. Fizemos o monitoramento e conseguimos dar flagrante com o produto. Os aparelhos seriam entregues enquanto ela passava os remédios para os presos", comentou o diretor.

 

Após o flagrante, a servidora Letícia Palu foi levada à farmácia e lá foi encontrado mais um carregador. Em sua bolsa pessoal foi encontrado mais um celular, que ela confessou que seria dela, sendo que no aplicativo WhatsApp havia diversas mensagens de presos mandando ela entregar os aparelhos ao detento Aldemir Assis de Campos (condenado por participar da chacina do Altos da Serra onde cinco pessoas morreram).

 

Ainda no celular, os agentes encontraram vários prints de extratos bancários feitos por pessoas ligadas ao Comando Vermelho para a conta de Letícia. "Esse dinheiro seria o pagamento para a entrada dos celulares", disse o diretor.

 

Nesta terça-feira (27), a servidora passa por audiência de custódia. 

 

Ainda foi feito uma revista no carro da farmacêutica e em seguida a levaram para a sede da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) no bairro Jardim das Américas, onde ela permaneceu detida durante a noite para esclarecimentos dos fatos. Na casa dela, os agentes encontraram outros smartphones que seriam entregues para o mesmo preso.

 

O caso passa a ser investigado pelo GCCO sob o comando do delegado Diogo Santana. Um Processo Administrativo Disciplinar também será aberto para tratar do afastamento de Letícia do cargo público. 

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto