Domingo, 08 de Abril de 2018, 16h:30

Tamanho do texto A - A+

Expectativa de atenção ao povo e solidariedade com quem chega

Por: JESSICA BACHEGA

Cuiabá está prestes a completar três séculos de fundação com uma população de 590 mil pessoas oriundas de diversas partes do país e que fazem a cultura cuiabana única. Cidadãos que trabalham por uma Capital melhor a cada dia e que esperam que ela se torne cada vez mais receptiva para os imigrantes e ofereça qualidade de vida para os que aqui nasceram. O caminho para essa evolução , segundo algumas personalidades cuiabanas, é o senso de comunidade, educação e uma sociedade politizada com representantes que trabalhem com amor por essa terra.

 

Marcus Mesquita/MidiaNews

andre de lucca

 Ator André D'Lucca

Cuiabano de “chapa e cruz” o ator André D’Lucca traz em suas peças o apelo político aliado ao humor para transmitir seu recado ao público atento de seus espetáculos. É o alerta para uma consciência política de quem o assiste e uma forma de contribuir para a mudança da realidade do País.

 

Em entrevista ao HiperNotícias, o ator falou de sua expectativa para a Cuiabá dos 300 anos, nesse aniversário de 299.

 

“Quero que os nossos representantes cumpram o que prometem durante as campanhas. Espero que a nossa população aprenda a votar, apesar de termos pouquíssimas opções. Espero que a gente consiga escolher o melhor. Não estamos conseguindo fazer isso talvez porque não tenham bons candidatos para escolher”, ressalta o artista.

 

Para ele, o investimento na educação da população é o caminho para que todos usufruam de uma sociedade melhor para o povo. “Quero também que haja mais investimento em educação, que é a base de tudo”, declara.

 

A opinião de D’Lucca é compartilhada pelo presidente da Associação das Famílias de Vítimas de Violência, Heitor Reyes, que cobra atuação mais efetiva por parte dos representantes eleitos pela população.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

heitor reyes

Presidente da Associação, Heitor Reyes 

“Espero que sejam desenvolvidas políticas públicas que melhorem a vida da população. Que haja mais ação e menos politicagem”, destaca o presidente.

 

Ele ainda critica a postura de algumas pessoas que se dizem honestas, como se o adjetivo fosse um bônus ao seu caráter. “Isso não é uma qualidade, é um dever de todo o político e de todo cidadão agir com honestidade”.

 

Com ponto de vista voltado para a sociedade, o escritor e advogado Eduardo Mahon, ressalta a característica do cuiabano de ser receptivo aos imigrantes e oferecer oportunidade para que quem chega aqui cresça e permaneça na cidade.

 

Para o jurista, que é carioca, mas se considera cuiabano morando na cidade há décadas, a hospitalidade e solidariedade é o que Cuiabá tem de mais bonito. Ele menciona o escritor Gervásio Leite para transformar em letras o sentimento pela Capital. 

 

“Gervásio Leite fez a melhor definição de Cuiabá: terra agarrativa. Terra que agarra e acolhe as pessoas”, menciona.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

eduardo mahon

 Advogado Eduardo Mahon

Para a Cuiabá dos 300 anos, o advogado que está prestes a lançar dois romances no exterior, diz que espera que os cuiabanos mantenham esse coração grande e acolhimento com o novo.

 

“Espero que Cuiabá se encontre. Que a sociedade possa se conscientizar da solidariedade, da comunidade. O traço mais marcante que Cuiabá tem é a maneira como recebe as pessoas”, enfatiza o escritor em seu escritório amplamente decorado com obras de artistas locais.

 

">

 

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto