Sexta-Feira, 31 de Março de 2017, 11h:01

Tamanho do texto A - A+

Equipe do Ciopaer reencontra vítima após 75 dias do resgate

Por: REDAÇÃO

Às vésperas de completar 34 anos, José Ricardo Dutra tem motivos mais do que especiais para comemorar. Após 75 dias internado no Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá, José reencontrou, na tarde desta quinta-feira (30.03), a equipe de piloto e tripulantes do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), que ajudou a salvar sua vida.

 

Lenine Martins - Gcom

Ciopaer - MT

 

Era uma tarde chuvosa do dia 15 de janeiro deste ano, quando a equipe do Ciopaer foi acionada para atender uma ocorrência de resgate em uma zona rural no município de Santo Antônio do Leverger (distante 35 km de Cuiabá).

 

José Ricardo e a esposa estavam instalando uma antena de televisão, quando sofreram uma forte descarga elétrica.

 

A esposa de José não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local. José sofreu queimaduras graves por todo corpo e teve parte do braço esquerdo amputado. Ele foi socorrido pela equipe do Ciopaer com quem teve os primeiros atendimentos ainda no local, pela médica do Samu, Nayara Farias.

 

“Era um quadro muito grave e ainda precisávamos estabilizar a vítima”, relembra a médica.

 

Um dos integrantes da equipe de resgate, 2º piloto e tenente coronel PM Enio Teixeira da Silva, conta que no dia chovia bastante, e não sabiam a localização exata da ocorrência. “Foi um resgate muito difícil. Para mim, é uma honra e satisfação vê-lo com vida”, falou.

 

Após dias difíceis de internação, José fez um pedido especial à sua família: gostaria de conhecer a equipe de resgate que salvou a sua vida. E nesta quinta-feira o encontro aconteceu.

 

“Fizemos questão de vir até ele. É o que faz valer a pena o nosso trabalho, nós faz sentir motivados, saber que temos condições de ajudar as pessoas e salvar vidas”, disse o coordenador do Ciopaer, tenente-coronel PM Henrique da Silva Santos.

 

Lenine Martins - Gcom

Ciopaer - MT

 

Segundo ele, durante o atendimento de uma ocorrência a equipe quase não consegue conversar com a vítima, e nem sempre tem a oportunidade de reencontrá-la para saber como ela está. “É muito gratificante para nós saber que hoje ele está vivo, independente das circunstâncias e das sequelas. E que de alguma maneira pudemos contribuir para isso”, falou.

 

O delegado Dinelson Pires Júnior, um dos tripulantes operacionais que também ajudou no resgate de José, disse estar feliz em revê-lo. “Ele passou por momentos delicados, mas está lutando pela vida. Viemos trazer energias positivas e torcer para que ele se recupere o mais breve possível”, disse.

 

José agradeceu a visita da equipe. “Graças a Deus e a vocês estou vivo. Em breve vou poder ir para casa, ver minhas filhas. Minha esposa morreu, mas pelo menos eu estou aqui, vivo, para poder cuidar delas”, falou emocionado.

 

Para eternizar o reencontro, José foi presenteado com uma camiseta do Ciopaer.

 

Resgate

 

O resgate de José Ricardo está entre os sete casos em que o Ciopaer prestou apoio de 1º de janeiro a 30 de março deste ano.

 

No ano passado, o Ciopaer ajudou em 47 resgates em todo Estado. O comandante da unidade, tenente-coronel PM Henrique da Silva Santos, afirma que 80% dos resgates são em casos de acidentes automobilísticos.

 

O Ciopaer também vem se destacando em ocorrências de atendimento e resgate em comunidades indígenas de Mato Grosso. Em 2016, foram 21 resgastes em áreas indígenas, zona rural, locais de difícil acesso e vítimas de acidentes em rodovias.

 

Ciopaer

 

As atividades do Ciopaer foram regulamentadas pelo Governo do Estado por meio do Decreto nº 8304, de 17 de novembro de 2006. O objetivo é centralizar, em um único órgão, o controle, a operação e a manutenção das aeronaves de asas fixas e rotativas de atividade policial de Mato Grosso.

 

Atualmente, o Ciopaer dispõe de três helicópteros e quatro aeronaves. O efetivo é de 92 profissionais da segurança pública, entre policiais militares, policiais civis e bombeiros militares, que se dividem nas funções de pilotos, tripulantes, mecânicos e nos serviços administrativos.

 

Os profissionais atuam em apoio às ocorrências de roubos, cercos, perseguições, resgates, salvamentos, incêndio, defesa civil, entre outros. 

 

Desde 2015, o Ciopaer tem auxiliado as forças de segurança pública nas ações integradas em todo o Estado. Além disso, o grupamento especializado também realiza patrulhamentos preventivos com foco na redução dos índices criminais.

 

Em 2016, por exemplo, foram realizados 216 patrulhamentos aéreos em Cuiabá e Várzea Grande, o que contribuiu de forma direta para a redução dos índices de criminalidade nas duas maiores cidades mato-grossenses.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto