Sexta-Feira, 14 de Setembro de 2018, 09h:33

Tamanho do texto A - A+

Entidades ligadas ao transporte público entregam propostas aos candidatos ao Governo

Por: REDAÇÃO

O transporte público é essencial na vida de milhares de pessoas que dependem para seus deslocamentos, sendo para o trabalho, escola, saúde, lazer e outros motivos diários.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

ponto de onibus do shopping patanal

 

O Sindicato das Empresas do Transporte  Urbano do Estado de MT - STU e a Associação Mato-grossense dos Transportadores Urbanos de Mato Grosso - MTU, entidades que representam as empresas do transporte coletivo que operam em Mato Grosso, entregaram aos cinco candidatos ao Governo do Estado, propostas para garantir um transporte coletivo com mais qualidade, transparência e preço competitivo. O documento, cujo tema é “Construindo hoje o novo amanhã: Contribuições do transporte público para a mobilidade urbana”, também foi entregue aos presidenciáveis, pela Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos - NTU, que representa 497 empresas de ônibus em todo o País. A idéia é garantir investimentos federais, estaduais e municipais na infraestrutura destinada aos coletivos.

 

Para o presidente da MTU, Ricardo Caixeta, desde 2015, o transporte público passou a ser Direito Social, conforme o artigo 6º da Constituição Federal, assim com a educação, saúde e segurança. “Nossa esperança com essas proposições  é que nesse momento em que estamos escolhendo os próximos governantes,  o transporte público esteja inserido na Agenda de Governo”, ressaltou Caixeta.

 

De acordo com estudos da NTU,  no Brasil, os automóveis ocupam 75% do espaço viário urbano e transportam apenas 20% das pessoas. Já os ônibus do sistema de Transporte Urbano ocupam somente 20% do espaço viário.  Carros e motos são responsáveis por 66% dos acidentes fatais enquanto os ônibus estão envolvidos em menos de 1% dos acidentes fatais. “Então por que não investir no transporte público? O que estamos esperando para economizar gastos públicos com saúde e destinar parte destes recursos economizados para custear o transporte público?”, indagou o presidente da NTU, Otávio Cunha. De acordo com último senso do IBGE, Cuiabá conta com uma população de  607.153 habitantes e possui 415 mil veículos.

 

Segundo Cunha, pela ausência de políticas públicas de investimento no transporte público urbano, ele deixou de ser competitivo. E revelou que todos esses fatores que abalam a produtividade e desempenho do setor levaram os operadores do sistema a fazer uma reflexão, ouvir técnicos e analistas levando em conta acertos e erros. Esclareceu que foi por meio desse esforço que nasceram as propostas para serem divulgadas e discutidas nos três níveis de governo, incluindo os setores de segurança, meio ambiente e saúde. “Cinqüenta milhões de cidadãos dependem do transporte público para realizar suas atividades. Diante dessa dimensão a NTU elaborou as seguintes propostas que traduzem os anseios da população. São elas:

 

• Priorizar o transporte coletivo sobre o transporte individual no sistema viário.

• Avançar na construção de redes de transporte modernas, integradas, multimodais, racionais e de alto desempenho.

• Prosseguir na desoneração dos tributos federais, estaduais e municipais incidentes sobre os serviços e sobre os insumos do setor.

• Utilizar os orçamentos públicos para custear os benefícios tarifários que tanto sobrecarregam os usuários comuns.

• Instituir um fundo com recursos dos combustíveis para subvencionar o transporte público coletivo viabilizando um transporte de qualidade com tarifa acessível a toda a população, ou seja, distinguir a tarifa pública cobrada dos usuários da tarifa de remuneração do operador.

• Implantar uma política de preços reduzidos para o óleo diesel consumido no transporte público urbano e de caráter urbano por ônibus.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto