Terça-Feira, 12 de Junho de 2018, 14h:40

Tamanho do texto A - A+

Empresa repudia informações equivocadas sobre tratamento de pacientes

Por: JESSICA BACHEGA

A empresa Plástica Para Todos esclarece que todos seus pacientes são submetidos aos exames necessários para realização dos procedimentos e que recebem acompanhamento no pós operatório. Por meio de nota, a instituição ressaltou que informações propagadas de que os clientes não recebiam atendimento adequado no pré e pós operatório são inverídicas.

 

hospital militar montoro.jpg

 

De acordo com o comunicado da empresa, o paciente tem a liberdade de escolher o profissional que melhor lhe convir, seguindo a tabela disponibilizada pelo programa. Todos os médicos são capacitados para a atividade e registrados no conselho da classe.

 

“Todos os pacientes no momento em que assinam o contrato com a empresa recebem todas as orientações e a prescrição de exames prévios  por parte de seu médico, profissional responsável, que é especialista devidamente registrado nos órgãos da classe. Após tais procedimentos, o médico avalia o laudo dos exames, mantendo ou não a indicação cirúrgica, tudo conforme preconiza o Código de Ética Médica e a legislação vigente”, diz trecho da nota.

 

A Plástica para todos pontua, ainda, que o  médico Eduardo Montoro, responsável pela cirurgia da esteticista Edileia Daniele Ferreira Lira, de 33 anos, morta devido à complicações, foi notificado da sindicância contra ele apenas na sexta-feira (8). O profissional tem acompanhamento de advogado e irá prestar os esclarecimentos necessários ao Conselho Regional de Medicina (CRM-MT).

 

A esteticista realizou cirurgias de redução de seios e lipoescultura, no Hospital Militar, que não possui Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no dia 10 de maio, pelo programa. Ela passou mal depois da operação e foi transferida para o Hospital Sotrauma, onde morreu no dia 14.

 

Programa 

O “Plástica para Todos” é apresentado como um programa de baixo custo para as pessoas que desejam fazer procedimentos estéticos. As cirurgias podem ser pagas em até 24 vezes no boleto e 12 vezes no cartão crédito ou crediário.

 

O projeto é constituído por uma equipe de 22 cirurgiões plásticos e membros da Sociedade brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), sendo dois cirurgiões geral especialistas em procedimentos bariátricos, dois dermatologistas, um otorrino especialista em cirurgias e duas nutricionistas.

 

Confira nota na íntegra

A Empresa Plástica Pra Todos, mais uma vez frente à necessidade de resgatar a verdade dos fatos, diante de notas publicadas na imprensa com declarações equivocadas, vem a público reiterar que todos os pacientes que escolhem o seu programa para realização de procedimentos cirúrgicos são previamente submetidos a consultas com os médicos de sua exclusiva escolha, dentre os que estão cadastrados no programa.

 

Todos os pacientes no momento em que assinam o contrato com a empresa recebem todas as orientações e a prescrição de exames prévios  por parte de seu médico, profissional responsável, que é especialista devidamente registrado nos órgãos da classe. Após tais procedimentos, o médico avalia o laudo dos exames, mantendo ou não a indicação cirúrgica, tudo conforme preconiza o Código de Ética Médica e a legislação vigente.

 

Logo, qualquer informação diferente é mera especulação com o intuito de desmerecer o serviço dos profissionais e da empresa perante a população.

 

Em relação à Sindicância instaurada face ao médico Eduardo Montoro, ele informou que tomou conhecimento do fato na última sexta-feira (8.6) e que também está sob os cuidados do advogado, Alex Sandro Rodrigues Cardoso, especialista em direito médico, que será responsável por sua defesa. O jurista informou que no prazo consignado serão realizados os devidos esclarecimentos ao Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM/MT) e destacou que não se trata de Processo Ético Disciplinar.

 

O advogado também esclarece que a delegacia encarregada pelo caso ainda não recebeu o laudo do IML e que a empresa Plástica Pra Todos, somente

fora notificada nesta segunda-feira (11.6) para apresentação de documentos e outras providências junto ao CRM/MT. Quanto a isso, analisará em conjunto com a diretoria técnica e administrativa da empresa a relação de documentos e outras providências solicitadas pelo órgão.

 

Por fim a empresa destaca que os médicos provenientes de outros Estados permanecem na cidade de Cuiabá durante vários dias da semana e finais de semana, e que não é verdade a informação de que não acompanham seus pacientes antes e após as cirurgias.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei