Quarta-Feira, 08 de Novembro de 2017, 15h:29

Tamanho do texto A - A+

Detran nega apreensão de carro de funerária com defunto e "blitz seletiva" chama atenção

Por: FELIPE LEONEL

O Departamento Estadual de Trânsito realizou em Rondonópolis (214 km de Cuiabá) um projeto piloto intitulado "Blitz Seletiva". A ação chamou a atenção da população, que viu a apreensão de um veículo de uma funerária, onde teria, inclusive um corpo no interior. O presidente do Detran/MT, Arnon Osny Mendes Lucas, nega a informação e ressalta que o veículo estava irregular, porém o motorista regularizou a situação e foi liberado. 

 

Marcos Lopes/HiperNotícias

operação Lei Seca/policia/PM

 

A operação é idealizada pela Polícia Judiciária Civil (PJC), em conjunto com a Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Detran e aconteceu entre os dias 30 de outubro e 6 de novembro. De acordo com Arnon Osny, a operação é realizada onde os focos de furtos de veículos são grandes, e visa recuperar os carros. Cerca de 300 veículos foram apreendidos, sendo que 50% dos condutores transitavam sem possuir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). 

 

"Essa é uma infração gravíssima, implica na perda de sete pontos na carteira e multa de R$ 840. Além disso, há um crime da pessoa que entrega o veículo a uma pessoa não habilitada. O veículo se torna uma arma na mão dessa pessoa", destacou Arnon, em entrevista ao HiperNotícias. 

 

De acordo com Arnon, dos veículos abordados, 90% estavam em situação irregular. Para garantir a precisão, a equipe utiliza um equipamento que lê as placas dos veículos e identifica irregularidades registradas no Detran, além de verificar informações junto as policias envolvidas na operação. "O equipamento identifica veículos com queixa de roubo e furto, seja estadual ou nacional, carros com restrição judicial e também identifica veículos trafegando de forma irregular", explicou Arnon. 

 

Segundo o presidente do Detran, em todos esses casos, muitos dos veículos poderiam ser utilizados para prática de crimes. Ainda de acordo com Arnon, a ação é uma operação policial e não visa apenas aumentar a arrecadação do Estado.  "A gente vai ver onde tem os maiores índices de roubo e furto de veículos, além da utilização desses veículos de forma irregular para cometer crimes para escolher a nova cidade a receber o projeto", destacou. 

 

Os condutores abordados foram atendidos pelo Detran no local da operação, onde podem regularizar o veículo dependendo da irregularidade detectada. Ainda segundo Arnon, apreensão do veículo é a última alternativa a ser adotada pelo órgão.

 

Greve

 

A ação foi realizada primeiro em Rondonópolis porque os trabalhadores daquela cidade não aderiram à greve. Somado a isso, o Detran também reforçou a equipe do município durante a blitz. Ainda não foi definido a próxima cidade a receber o projeto.

 

Decreto Legislativo

 

Na manhã desta quarta-feira (8), a Assembleia Legislativa de Mato Grosso aprovou um decreto legislativo, no qual proíbe a apreensão de veículos com documento atrasado nos períodos en que houver greve no Detran. A medida deve ter validade somente após publicação no Diário Oficial do Estado. 

Avalie esta matéria: Gostei +3 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto