Quinta-Feira, 14 de Setembro de 2017, 07h:38

Tamanho do texto A - A+

Comissão do Meio Ambiente recebe população de Cangas para debater exploração mineral

Por: REDAÇÃO

Um grupo de moradores do distrito de Cangas- município de Poconé, esteve presente a reunião da Comissão de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Minerais em busca deo apoio parlamentar sobre a atuação das mineradoras na localidade.

 

Marcos Lopes - Secom-ALMT

WALNEY

 

Na oportunidade, eles entregaram um documento para os deputados contendo fotos e depoimentos dos moradores solicitando providências emergenciais para o assunto.

 

“Vamos nos aprofundar sobre a real situação dos moradores de Cangas. A comissão vai exigir um prazo de trinta dias para que a Sema encaminhe à Assembleia informações sobre de que maneira foi dada a autorização para exploração do minério naquela região”, explicou o presidente da comissão, deputado Dilmar Dal Bosco (DEM).

 

Dal Bosco também explicou que a equipe técnica da comissão vai pedir a documentação da licença prévia para a instalação das mineradoras no local, e ainda, a licença de operação através da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema).

 

“Com todos os documentos em mãos, designamos o deputado Wágner Ramos como o relator do  processo para depois fazermos visitas 'in loco' e analisar o cenário. Temos que tomar providências, pois se trata de uma denúncia vinda da sociedade corroborada por um vereador do município”, afirmou Dal Bosco.

 

Para o vereador  Walnei Rosa (PV), o trabalho da comissão vai ser fundamental para saber se a licença está correta e se há acompanhamento técnico-ambiental.  “Tem que ter a regularização ambiental. Estamos acompanhando todo processo das mineradoras de Cangas, que avançaram o espaço na extração do minério”, revelou o vereador.

 

Ele destacou também que, durante as cheias, acontecem alagamentos no Distrito, assim como a poeira que toma conta das casas. “O que a população deseja saber se há autorização da Sema. Não queremos o fechamento do garimpo mas, a legalização. Viemos buscar apoio junto aos deputados para reforçar o pedido da população”, falou Rosa.

 

Conforme dados do morador e pescador Fernando Lima, há  mais de trinta mineradoras explorando o local, 29 delas legitimadas, mas apenas 11 com alvarás licenciados. “Já tivemos problemas de saúde devido a poeira nas ruas, além do constante lixo no distrito. É muito triste a situação da população de Cangas, que sofre com o entulho e água das mineradoras”, apontou ele.

 

Após ouvirem os depoimentos do vereador e também dos moradores de Cangas, os deputados voltaram ás atenções para os projetos de leis que foram analisados na reunião desta quarta-feira (13). No total foram seis projetos: PL nº 57/2015, PL 554/2015, PL 677/2015, PL 120/2016, PL 354/2016 e PL 211/2017. A próxima reunião está marcada para o dia 27 deste mês as 16 horas, na sala 202.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei