Sábado, 14 de Julho de 2018, 15h:30

Tamanho do texto A - A+

Associação leva conhecimento e esperança à crianças carentes de Cuiabá

Por: DANNA BELLE

Como começa um sonho? O da Associação Coletivo Cuiabá, em mudar a vida de crianças que não tinham nenhuma esperança, iniciou em novembro de 2013 com a organização de um grupo de amigos para distribuir cestas básicas às famílias necessitadas na capital mato-grossense.

 

Arthur Passos

Pascoa Coletivo Cuiaba

 

“A primeira atividade do Coletivo Cuiabá foi uma experiência muito boa, nos sentimos muito bem em fazer isso e não quisemos parar. Reunimos de novo na Páscoa, como não tínhamos um local fixo, a gente escolhia praças aleatórias de Cuiabá e fazia pequenas ações, como um cinema na praça com filme e pipoca para as crianças, além de atendimento de dentistas e advogados”, relembrou Michelle Dreher, uma das fundadoras.

 

A cada pequeno evento realizado em algum local de Cuiabá, durante a Páscoa, Dia das Crianças e Natal, cada vez mais surgia a necessidade de um espaço físico para aumentar e estabelecer o contato com as crianças atendidas. Afinal, elas mereciam atenção não somente em datas comemorativas, mas todas as semanas do ano.

 

O Coletivo de amigos então buscou uma solução e encontrou um anjo pelo caminho, o empresário Dilmar Barrionuevo Alves, que doou um terreno no Jardim Gramado, para a construção de uma incubadora dos projetos sociais, a Casa Coletiva.

 

No início, atendiam 20 crianças com apenas uma aula e disposição de biblioteca, mas o projeto foi sendo divulgado no tradicional boca-a-boca e logo a Casa estava repleta de olhinhos brilhantes em busca de aprendizado. Atualmente, a associação atende ao todo 100 crianças de terça-feira a sábado, com oferta de dez atividades diferentes: dança, muay thai, jiu-jitsu, judô, ballet, yoga, capoeira, inglês, xadrez e português.

 

Muitas crianças apresentam dificuldades na escola com a disciplina de matemática, por isso há a intenção de iniciar uma espécie de reforço com os alunos. Para que isso aconteça a associação está buscando professor voluntário com disponibilidade para ensinar o universo dos números aos meninas e meninas.

 

Durante os dias de semana, são oferecidos lanches para as crianças, no intervalo das aulas. No sábado, é servido um almoço como encerramento das atividades. Toda alimentação é conseguida por meio de doações de empresas ou pessoas que se sensibilizam com o trabalho realizado na Casa.

 

Reprodução/Instagram

professores Coletivo Cuiaba

 Alunos com os professores Renata Guedes (muay thai) e Yann Cathalat (jiu-jitsu)

Aliás, o sistema funciona totalmente baseado no voluntariado, desde os professores até o pessoal responsável pela organização e limpeza da Casa e cuidado com as crianças, assim como a doação de roupas para a prática das atividades, como quimono, collant, saia, sapatilhas, meias e livros de inglês. O que recebem em troca? O poder de contribuir com o crescimento de cada participante do projeto e ver a evolução deles.

 

“Entrei pelo portão e me apaixonei. O pouco que ensino e tento passar para eles, me faz acreditar nesse mundo que podemos transformar. Ver os olhos das nossas crianças extasiadas, com tanta cultura que ensinamos, me faz querer a cada terça estar sempre ali”, relatou a voluntária Gabriela Pelissari.

 

A garotada que realmente estava interessada em fazer artes marciais ganhou bolsa de estudo na escola ‘Atletas do Rei’, no bairro vizinho. Um passo a mais para participar de campeonatos e conquistar medalhas de ouro, prata e bronze. Inclusive, alguns dos pequenos atletas estão de viagem marcada para competirem em São Paulo.

 

“A aula que eu mais gosto é de jiu-jitsu, porque é bom treinar, aumentou minha concentração nos estudos, melhorou minha vida. O Coletivo me ajudou muito, é um local onde eu aprendo as coisas, onde posso estudar”, relatou uma das crianças beneficiadas pelo projeto, C. G. S. C., de 10 anos.

 

Reprodução

Arraia Coletivo Cuiaba

 Voluntários da Festa Junina no Coletivo Cuiabá

Agora o sonho é um pouco maior, devido ao aumento expressivo de crianças e de aulas, a necessidade de reforma e ampliação da estrutura não pode mais ser adiada. Por isso os voluntários estão recebendo doações, desde a divulgação, doação de material para construção, mão de obra, entre outros itens para que possam contribuir com mais essa conquista. Os voluntários também estão organizando uma festa junina com bazar para levantarem fundos para a expansão da Casa.

 

A quarta edição do arraiá acontecerá na noite neste sábado (14), com comidas típicas, pescaria e atração musical de Junior Campos, na quadra do Hotel Fazenda Mato Grosso. O ingresso individual custa R$ 10 e toda a renda da bilheteria e das barracas será revertida para a amplificação da Casa Coletiva.

 

Quem quiser colaborar com o Coletivo Cuiabá pode entrar em contato pelo site, página do Facebook ou Instagram.

 

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto