Quinta-Feira, 12 de Outubro de 2017, 17h:00

Tamanho do texto A - A+

Águas Cuiabá deve corrigir inconsistência de abastecimento e investe R$1,2 bi

Por: CAMILLA ZENI

A Iguá Saneamento, responsável pelos serviços de água e esgoto em Cuiabá, assumiu a concessão no dia 1º de agosto e apresentou a nova diretoria à imprensa nesta terça-feira (10). Conforme os diretores da empresa, a Capital mato-grossense será um dos maiores desafios da empresa, considerando, principalmente, a inconsistência do abastecimento de água.

 

Camilla Zeni/HiperNotícias

gustavo guimaraes aguas cuiaba

 Gustavo Guimarães é presidente da Iguá Saneamento 

“É inconcebível que uma cidade como Cuiabá tenha abastecimento de água em alguns bairros sendo dia sim-dia não. Isso não existe”, comentou o diretor de operações da empresa, Péricles Weber. Segundo o executivo, este será um dos desafios encarados pela concessionária, que atua com o mote de sustentabilidade.

 

Para corrigir o problema, o presidente da empresa, Gustavo Guimarães, ressaltou que a Águas Cuiabá - nome da Iguá na Capital -, traz mudanças importantes em relação à antiga CAB, que vão além da mudança de conceito de saneamento.

 

Segundo ele, além de uma grande mudança estrutural feita na gestão, a concessionária terá como frente a execução financeira, se comprometendo a investir R$1,2 bilhões no sistema de água e esgoto de Cuiabá no prazo de sete anos.

 

Atualmente, o sistema de água e esgoto de Cuiabá possui 182 mil e 74 mil ligações ativas, respectivamente, que atende a uma população de quase 580 mil pessoas.

 

O plano de ação para a água inclui aumento da captação de água em mil litros, com investimentos divididos nas estações de tratamento (ETA) dos bairros Ribeirão do Lipa, Parque Cuiabá e Coophema. Ainda prevê ampliação das ETAs para 400, 500 e 300 litros por segundo, respectivamente. Todas as obras da empresa tem prazo de conclusão de até 18 meses e R$91 mi de investimento.

 

Já para o sistema de esgoto, a empresa prevê investimento de R$112 milhões, aplicadas no sistema dos bairros Dom Aquino e Tijucal, que terão quatro novas estações elevatórias, cada, ampliação da captação de mais 515 litros por segundo e um total de 138 km de novas redes coletoras.

  

A empresa, que tem sede em São Paulo, é um grupo controlado pelo Fundo de Investimento em Participações Multiestratégicas Iguá, que detém quase 85% da participação. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Banco Bradesco também são acionistas.

 

Confira como ficarão os novos investimentos.

 

Credito: Reprodução
Credito: Reprodução
Credito: Reprodução
Credito: Reprodução
Credito: Reprodução
Credito: Reprodução
Credito: Reprodução
Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto