Terça-Feira 28 de Março de 2017
pesquisas

Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 14h:35

Tamanho do texto A - A+

Agronegócio se manifesta contra samba-enredo de escola carioca; veja letra

Por: JESSICA BACHEGA

Entidades que representam o agronegócio em Mato Grosso demonstram preocupação quanto à retratação do produtor rural no enredo da Escola de Samba Imperatriz Leopoldinense para o Carnaval 2017. Intitulado "Xingu, o clamor que vem da floresta",  o samba da agremiação cariosa exalta as comunidades indígenas existentes na região e quanto ao agronegócio cita:“o belo monstro rouba as terras dos seus filhos”.

 

iMPERATRIZ XINGU

 

De autoria dos compositores Moisés Santiago, Adriano Ganso, Jorge do Finge e Aldir Senna, o enredo é tema da tradicional escola de samba carioca que desfila na Marquês de Sapucaí no dia 26 de fevereiro.

 

A música diz que “o paraíso fez aqui o seu lugar jardim sagrado o caraíba descobriu”, se referindo à floresta habitada pelos indígenas. Logo em seguida, outros trecho cita os produtores rurais como destruidores do lar dos índios e do meio ambiente: “...o belo monstro rouba as terras dos seus filhos devora as matas e seca os rios... tanta riqueza que a cobiça destruiu”.

 

O samba ainda pontua que apesar do índios ter chegado primeiro ao Xingu, hoje ele está esquecido, mas não vai desistir de lutar por seu espaço. 

 

Por meio de nota divulgada nesta terça-feira (10) a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrimat), Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (AMPA), Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat), Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) e a Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil)ressaltam que o agronegócio também é motivo de orgulho.

 

O texto aponta que o Brasil já foi conhecido pelo carnaval e futebol, mas que hoje também é referência na produção de alimentos de forma sustentável. As entidades ressaltam a preocupação sobre a forma que a escola de samba irá abordar a atividade agropecuária em seu samba enredo.

 

“Preocupa-nos sobremaneira a forma como a escola contextualizou o samba-enredo e as fantasias abordando negativamente alguns dos aspectos da produção, como a ocupação das terras e a utilização de defensivos”, diz trecho da nota.

 

As entidades ressaltam ainda que devido ao avanço tecnológico no país é possível aumentar a produtividade sem abertura de novas áreas para a produção.

 

“Respeitamos a licença poética dos carnavalescos, mas esperamos que a criatividade artística não reforce opiniões preconceituosas e errôneas sobre a atividade agropecuária com informações que não correspondem à realidade de quem vive o campo”, salienta parte do texto emitido pelos produtores.

 

A nota frisa ainda as áreas de conservação mantidas pelos produtores e o manejo sustentável adotado na produção de alimentos que permite e preservação do meio ambiente.

 

Em nota específica assinada pelo presidente da Acrimat, Marco Túlio Duarte Soares, a entidade repudia a atitude dos sambitas e afirma que "os milhões de brasileiros que atuam na agropecuária sentiram-se atingidos pela ignorância da Imperatriz que, nesses quesitos, denigre a importância do setor produtivo. Os resultados do campo são inquestionáveis e estão presentes todos os dias na mesa, também, dos dirigentes, sambistas, passistas e de todas as alas dessa escola de samba".

 

A escola de samba foi procurada, mas até a publicação desta matéria não havia se manifestado.

 

Confira nota na íntegra

 

Entidades do Agro de Mato Grosso e Aprosoja Brasil se posicionam sobre samba-enredo da Imperatriz Leopoldinense

 

O Brasil já foi reconhecido internacionalmente como o país do futebol e do Carnaval. Hoje a realidade é outra: também somos reconhecidos como grande líder na produção de alimentos de forma sustentável, destacando-nos fortemente frente a outros países no mundo. Conquistamos estas posições graças ao talento, à criatividade e ao trabalho do povo brasileiro. 

 

Por respeitar a manifestação cultural do Carnaval e reconhecer seu poder em divulgar a cultura e a história brasileiras, as entidades que representam a agricultura e pecuária de Mato Grosso e a Aprosoja Brasil vêm a público manifestar sua preocupação na forma com que a Escola de Samba Imperatriz Leopoldinense irá abordar a atividade agropecuária no seu samba-enredo deste ano, cujo tema é “Xingu, o Clamor da Floresta”.

 

Preocupa-nos sobremaneira a forma como a escola contextualizou o samba-enredo e as fantasias abordando negativamente alguns dos aspectos da produção, como a ocupação das terras e a utilização de defensivos. 

 

Se não fosse a evolução tecnológica que conquistamos ao longo dos anos, certamente não chegaríamos à produção sustentável que temos hoje, que permite elevar a produção de alimentos na mesma área, sem a necessidade de novas aberturas. 

 

Como disse o ganhador do prêmio Nobel da Paz em 1970, Norman Ernest Borlaug, referindo-se a agricultura mundial: “Para aqueles cuja principal preocupação é defender o ‘ambiente’, vamos olhar o impacto que a aplicação da agricultura baseada na ciência teve sobre o uso da terra. Se a produtividade dos cereais de 1950 tivesse permanecido em 1999, teríamos precisado de 1,8 bilhão de hectares adicionais de terra da mesma qualidade, em vez dos 600 milhões que foram usados”.

 

Respeitamos a licença poética dos carnavalescos, mas esperamos que a criatividade artística não reforce opiniões preconceituosas e errôneas sobre a atividade agropecuária com informações que não correspondem à realidade de quem vive o campo.

 

Somos o único país com 61% das espécies nativas resguardadas em terras indígenas, unidades de conservação da biodiversidade, Áreas de Preservação Permanente e Reserva Legal. Somente 27,7% do território brasileiro é destinado à agropecuária. O Agro brasileiro é obediente a uma das mais severas e rigorosas legislações sociais e ambientais do mundo. 

 

O Agro também é motivo de orgulho.

 

FAMATO – Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso

ACRISMAT – Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso

AMPA – Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão

APROSMAT – Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso

APROSOJA – Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso

APROSOJA BRASIL – Associação dos Produtores de Soja do Brasil

 

O enredo tema da Imperatriz Leopoldinense

BRILHOU… A COROA NA LUZ DO LUAR!

NOS TRONCOS A ETERNIDADE… A REZA E A MAGIA DO PAJÉ!

NA ALDEIA COM FLAUTAS E MARACÁS

KUARUP É FESTA, LOUVOR EM RITUAIS

NA FLORESTA… HARMONIA, A VIDA A BROTAR

SINFONIA DE CORES E CANTOS NO AR

O PARAÍSO FEZ AQUI O SEU LUGAR

JARDIM SAGRADO O CARAÍBA DESCOBRIU

SANGRA O CORAÇÃO DO MEU BRASIL

O BELO MONSTRO ROUBA AS TERRAS DOS SEUS FILHOS

DEVORA AS MATAS E SECA OS RIOS

TANTA RIQUEZA QUE A COBIÇA DESTRUIU

SOU O FILHO ESQUECIDO DO MUNDO

MINHA COR É VERMELHA DE DOR

O MEU CANTO É BRAVO E FORTE

MAS É HINO DE PAZ E AMOR

 

SOU GUERREIRO IMORTAL DERRADEIRO

DESTE CHÃO O SENHOR VERDADEIRO

SEMENTE EU SOU A PRIMEIRA

DA PURA ALMA BRASILEIRA

 

JAMAIS SE CURVAR, LUTAR E APRENDER

ESCUTA MENINO, RAONI ENSINOU

LIBERDADE É O NOSSO DESTINO

MEMÓRIA SAGRADA, RAZÃO DE VIVER

ANDAR ONDE NINGÚEM ANDOU

CHEGAR AONDE NINGUÉM CHEGOU

LEMBRAR A CORAGEM E O AMOR DOS IRMÃOS

E OUTROS HERÓIS GUARDIÕES

AVENTURAS DE FÉ E PAIXÃO

O SONHO DE INTEGRAR UMA NAÇÃO

KARARAÔ… KARARAÔ… O ÍNDIO LUTA PELA SUA TERRA

DA IMPERATRIZ VEM O SEU GRITO DE GUERRA!

 

 

SALVE O VERDE DO XINGU… A ESPERANÇA

A SEMENTE DO AMANHÃ… HERANÇA

O CLAMOR DA NATUREZA

A NOSSA VOZ VAI ECOAR… PRESERVAR!

 

 

 

 

 

 

 

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei








1 Comentários

Fatima - 11/01/2017

A REALIDADE É TRISTE E AGORA O ENREDO DA IMPERATRIZ LEOPOLDINENSE VEM ALERTAR SOBRE A FLORESTA DO ESTADO DE MATO-GROSSO QUE VEM SOFRENDO BASTANTE COM O DESMATAMENTO NOS ÚLTIMOS ANOS A BUSCA INCESSANTE PELO LUCRO E O COMODISMO DAS NOSSAS AUTORIDADES SÃO AS PRINCIPAIS CAUSAS DESTE TRÁGICO PROBLEMA, E AINDA MAIS A PORTA DO ESTADO ESTÁ ABERTA( SEM FISCALIZAÇÃO )PARA O TRANSPORTE DE MADEIRAS ILEGAIS COMO A CASTANHEIRA (PROIBIDA DE CORTE) E TANTAS OUTRAS, E DESDE 2012 OS DEPUTADOS E O GOVERNO ACABARAM COM A FISCALIZAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO DE MADEIRAS E NINGUÉM TOMA PROVIDÊNCIA COM ESSA DEVASTAÇÃO EM POUCO TEMPO VEM A DESTRUIÇÃO DA FLORA , FAUNA E DO PRÓPRIO SER HUMANO.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA

Leia mais sobre este assunto

Nó de Cachorro

Nó de Cachorro

Escolas militares

Quanto pior, melhor

Secretário na escola

Lua de mel

Mais Notas

Últimas Notícias

Mais Lidas

Mais Comentadas