Terça-Feira, 31 de Outubro de 2017, 09h:40

Tamanho do texto A - A+

Taques consegue R$ 100 milhões para amenizar caos na Saúde

Blog do Mauro Cabeçalho

 

O governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), não saiu de Brasília com as mãos abanando. De pires na mão em busca de recursos para diminuir os problemas no fluxo de caixa, ele conseguiu garantias, no Ministério da Agricultura, de que o Estado vai receber pouco mais de R$ 100 milhões por conta de uma dívida da Conab com Mato Grosso, gerada em 1985. O grosso dos recursos, quando chegar, vai para a Saúde.

 

Subindo o tom

Além de melhorar uma das prioridades da administração pública, que é o atendimento médico-hospitalar da população, o uso do dinheiro para a Saúde visa acalmar a insatisfação, cada vez maior, dos prefeitos, cansados com os atrasos nos repasses.

 

Quatro mãos

A negociação, que depende agora apenas do aspecto financeiro, foi pilotada por Taques e pelo ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), que enxergou no programa de refinanciamento de dívidas lançado pelo tucano uma brecha para solucionar o problema. O valor original da dívida já estava na casa dos R$ 400 milhões.

 

Dezembro

Já o Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações (FEX) só virá em dezembro. Taques não conseguiu antecipar para novembro o recebimento dos quase R$ 500 milhões, sendo 25% aos municípios. A garantia de que o Projeto de Lei para liberar o recurso será enviado ao Congresso Nacional, de modo a assegurar a regularização dos repasses, foi dada pelo ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira.

 

Imprevisto

Havia a possibilidade de que Taques se encontrasse com o presidente Michel Temer (PMDB), de quem tem o compromisso para a quitação da dívida da Conab com o Estado, mas isso não ocorreu. O peemedebista segue se recuperando de uma cirurgia em São Paulo e só deve voltar a Brasília no feriado.

 

De olho

Técnicos dos poderes e órgãos da administração pública estão concluindo os levantamentos a respeito dos valores necessários para a quitação da folha de pagamentos dos servidores em relação ao mês de outubro. O Executivo pretende fazer os repasses, conforme acordado em uma reunião na semana passada, ainda nesta semana.

 

Alerta

O sinal amarelo já ascendeu no Palácio Alencastro. O vereador Diego Guimarães (PP), como já havia sinalizado, será oitavo parlamentar assinando o pedido de abertura de investigação contra o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) por conta das imagens em que ele aparece recebendo dinheiro vivo no Palácio Paiaguás. Mais uma assinatura e a CPI será instalada.

 

Vigilância

Por isso mesmo, os parlamentares da base de apoio a Pinheiro redobraram a atenção em relação aos colegas. A insatisfação causada com o episódio da suplementação do orçamento da Câmara Municipal, que teve como reflexo a demissão de 460 servidores, ainda permanece entre alguns e o temor de que haja uma “pulada de cerca” existe e é grande.

 

Antes do feriado

O desembargador federal Ney Bello deve analisar a situação do deputado estadual Gilmar Fabris (PSD) ainda antes do feriado. O pessedista deixou a prisão depois que os deputados aprovaram sua soltura sem no entanto informarem o fato ao Judiciário.

 

Mantida

Já o Ministério Público Estadual (MP) decidiu não tentar aumentar a condenação do empresário Alan Ayoub Malouf, que recebeu como pena por participação em um esquema de cobrança de propinas desvendado na Operação Rêmora mais de 11 anos de prisão. Os promotores que cuidam do caso consideraram a pena razoável diante das imputações feitas contra o empresário.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei