Terça-Feira, 11 de Julho de 2017, 15h:09

Tamanho do texto A - A+

Suposta delação ‘bagunça’ cenário político

Blog do Mauro Cabeçalho

 

 

Revelada pelo jornal O Estado de S. Paulo, a suposta delação premiada do ex-deputado José Geraldo Riva tem tudo para dificultar ainda mais qualquer prognóstico da corrida eleitoral do ano que vem. Conforme o jornal, um dos casos que teriam sido relatados por ele atinge em cheio o ministro Blairo Maggi (PP), que deverá tentar a reeleição ao Senado. 

 

 

Desistência

 

A possível candidatura à presidência não está descartada, mas até se quiser buscar mais oito anos de Senado o ministro Blairo Maggi terá que ver superadas as notícias negativas envolvendo seu nome . A amigos, inclusive, ele teria confidenciado que poderia desistir da política e voltar ao mundo corporativo, onde é um empresário de sucesso.

 

 

 

Sem delação

 

Já Riva, por meio de seu advogado, negou que tenha feito qualquer tipo de acordo com a Procuradoria-Geral da República (PGR), classificando a informação como mentirosa. Vale lembrar que o ex-secretário Pedro Nadaf passou meses negando uma delação, hoje homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

 

Desespero

Observa-se que existe um enorme esforço de incluir Blairo Maggi nas delações premiadas, como forma de garantir a homologação de um acordo. Oproblemaé que não basta denunciar. É preciso apresentar provas. Blairo tem a imagem arranhada pela midia negativa, mas está longe de ser considerado culpado pelos fatos a ele atribuidos em delações não confirmadas.

 

 

 

Tirando o foco

 

O promotor de Justiça Mauro Zaque acusou o secretário de Justiça, Airton Benedito Siqueira Júnior, de tentar desviar o foco no caso dos grampos clandestinos. Para ele, a inclusão nos autos de informações relativas a 2007 não guarda nenhuma relação com a investigação atual.

 

 

 

Clima ruim

 

Dentro do Ministério Público Estadual (MP) o clima passa longe de ser bom. Ninguém tem mais dúvidas que algumas figuras graúdas do órgão acabarão chamuscadas por conta da investigação dos grampos. Dois grupos travam uma batalha silenciosa na tentativa de controlar as ações.

 

 

 

Unidos

 

Por outro lado, entre os membros do Tribunal de Justiça, há a clara percepção que as acusações contra o desembargador Orlando Perri atingiram todo o Judiciário. Pelo menos em um primeiro momento, estão todos unidos na defesa do magistrado.

 

 

 

Troca de farpas

 

A situação do presidente Michel Temer (PMDB) tem causado ruídos entre políticos de partidos aliados em Mato Grosso. Um senador e um deputado federal não escondem de mais ninguém as divergências, a um passo, inclusive, de se tornarem ofensas.

 

 

 

Delação

 

Depois de Pedro Nadaf, o procurador aposentado Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, o Chico Lima, está perto de fechar um acordo de delação premiada com o Ministério Público Estadual (MP). Além da confissão, novidades fazem parte do pacote.

 

 

 

Mudança

 

A crise no cofre da União poderá representar uma mudança no quadro societário da Águas Cuiabá. A BNDES Par pode tirar o time de campo e ser trocada por um novo investidor que pode aportar na sociedade R$ 70 milhões de cara.

 

 

 

Novela sem fim

 

Por falar em Águas Cuiabá, empresa que pode assumir o saneamento da Capital, já passou da hora do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) resolver a questão. Sem experiência no Executivo, o político tem confundido, neste e em outros episódios, segurança com letargia.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei