Terça-Feira, 26 de Setembro de 2017, 09h:42

Tamanho do texto A - A+

Poderes articulam formas de burlar teto

 

Blog do Mauro Cabeçalho

 

Há neste momento uma articulação envolvendo os poderes e órgãos da administração pública para conseguir assegurar mais recursos que os previstos na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estipula um teto nos gastos públicos. Ao invés de buscarem a economia de suas estruturas, eles têm trabalhado para conseguir modificar o texto que trata do assunto, sobretudo a questão do excesso de arrecadação.

 

Suplementação

O deputado Guilherme Maluf (PSDB), que presidente a comissão especial criada para relatar a PEC na Assembleia Legislativa, já admite a inclusão de uma emenda que assegure a distribuição do chamado excesso de arrecadação. Sob a alegação que os valores arrecadados a mais do que o previsto no orçamento devem ser divididos, a emenda modificaria o texto original da PEC, que extingue a suplementação.

 

Pesado

Se a emenda for acolhida em Plenário, o contribuinte mato-grossense seguirá tendo que carregar, em seus ombros, uma máquina pública cada vez mais inchada e custosa, enquanto tem que trabalhar cada vez mais para quitar os impostos. De se lamentar.

 

Campeões

Vale destacar que conforme levantamento do Conselho dos Secretários de Planejamento do Brasil, Mato Grosso é um dos Estados que mais paga duodécimo aos poderes e órgãos da administração pública em relação à receita corrente líquida.

 

Fogo amigo

Embora o fato tenha sido negado, houve sim uma articulação para impedir que o ex-prefeito de Acorizal, Meraldo Sá (PSD), assumisse a cadeira pertencente a Gilmar Fabris (PSD), afastado e preso por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). Alheio a isso, o ex-presidente da AMM toma posse hoje.

 

Mais três

O Ministério Público Estadual (MP) anunciou que mais três terminais telefônicos pertencentes ao Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) foram interceptados clandestinamente, fato que teria sido descoberto com a investigação da chamada Grampolândia Pantaneira.

 

Contra tudo e todos

Presidente afastado do Tribunal de Contas do Estado (TCE), depois de ser citado na delação do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), Antônio Joaquim decidiu partir para o ataque. Além de SIlval e do governador Pedro Taques (PSDB), ele criticou os conselheiros substitutos, que ocuparam os cargos após a decisão do STF.

 

Gabinetes

Nos bastidores, corre a informação que Joaquim teria ficado muito irritado com o fato de que os substitutos passariam a utilizar os gabinetes dos conselheiros afastados. A informação não foi confirmada pela assessoria do TCE. É nítido que Joaquim mostra grande descontrole, atacando servidores concursados da Corte de Contas, muito por ver seu projeto político morrer antes mesmo de nascer.

 

Podemos

O senador José Medeiros, agora no Podemos, tem trabalhado para costurar um acordo que leve para a sigla o deputado federal Adilton Sachetti e os ex-prefeitos Mauro Mendes e Otaviano Pivetta, se aproveitando do clima de fim de festa que tomou conta do PSB. Conversas estão em andamento e, dizem nos corredores, mais adiantadas do que parecem.

 

Rasteira

Se as filiações forem concretizadas, o Democratas, que despontava como sigla preferida dos pessebistas em litígio com Valtenir Pereira, sofrerá uma dura derrota nos bastidores. Em nível nacional isso já aconteceu, o que fez com que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ) afirmasse que a sigla teria levado uma “facada nas costas”.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei