Quarta-Feira, 02 de Agosto de 2017, 16h:21

Tamanho do texto A - A+

Ministro do STF confirma delação de Silval

Blog do Mauro Cabeçalho

 

Fato negado há meses por seus advogados de defesa, a delação do ex-governador Silval Barbosa (PMDB) existe e está prestes a ser homologada. A informação foi confirmada nesta quarta-feira (2), pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, encarregado da análise do material.

 

Monstruoso

Embora não tenha dado nenhum detalhe sobre a delação, Fux afirmou que os depoimentos de Silval trazem informações “monstruosas”, só menos importantes que as levantadas no âmbito da Operação Lava Jato. Por ser homologada no STF, a delação traz – com certeza – informações sobre políticos com prerrogativa de foro por função.

 

Haja remédio

Com a confirmação, a correria às farmácias em busca de calmantes tende a aumentar. Circulam na cidade informações sobre episódios graves, que atingem membros e ex-integrantes de todos os poderes, que teriam sido narrados por Silval. Agora é aguardar.

 

Perdendo o bonde

O ex-prefeito Mauro Mendes (PSB) corre o risco de perder o bonde e acabar sozinho no processo de mudança de partido. Enquanto boa parte dos dissidentes do PSB de Mato Grosso já se definiu e seguirá para o DEM, Mendes insiste e postergar a decisão.

 

Rixa antiga

Mendes já se mostrou uma pessoa rancorosa nas eleições municipais do ano passado, quando se recusou a apoiar o candidato de seu grupo, Wilson Santos (PSDB) que aceitou a missão de substitui-lo aos 45 minutos do segundo tempo depois que ele desistiu de tentar a reeleição. Agora, o alvo é o ex-senador e líder do DEM no Estado, Jayme Campos.

 

Esperançosos

O comportamento de Mauro traz esperança para a oposição, que ainda sonha com uma “traição” do ex-prefeito ao governador Pedro Taques (PSDB) para ter um nome com peso para enfrentar o tucano, que deverá tentar a reeleição. Outro esperançoso é o senador José Medeiros (PSD), que pode recuar de sua provável mudança de lado, rumo ao Partido da República, e fazer uma dobradinha com Blairo Maggi (PP).

 

Preocupado

Por outro lado, o deputado Fábio Garcia (PSB), a caminho do DEM, tende a perder muito sem a companhia de Mendes na sua tentativa de se lançar à reeleição. A ausência do apoio do ex-prefeito pode representar uma redução no número de votos e colocar a cadeira na Câmara dos Deputados em risco.

 

Blairo sobe

O comportamento do “centrão” na votação da admissibilidade da denúncia oferecida pelo procurador Rodrigo Janot contra o presidente Michel Temer (PMDB) fez aumentar o prestígio de diversas siglas para o governo. Entre elas o PP, do senador licenciado e ministro Blairo Maggi (PP), que pode ter mais cargos na administração pública federal. Já o PSDB, que não se mostrou tão empenhado, deve perder espaço.

 

Semana que vem

O governador Pedro Taques (PSDB) vai se reunir com sua base de apoio na Assembleia Legislativa no início da semana que vem para tratar das principais ações para este semestre. Em pauta, a proposta (que é discutida a quase um ano) estabelece um teto aos gastos da administração pública e uma minirreforma administrativa.

 

Tesoura

Por falar na reforma, a ordem é usar bastante a tesoura em cargos e gastos. Embora sem grande amplitude, a promessa nos corredores do Palácio Paiaguás é cortar despesas, com vistas a conseguir fechar as contas deste ano.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei