Quarta-Feira, 12 de Julho de 2017, 09h:31

Tamanho do texto A - A+

Lei do Teto de Gastos: fim do mistério

Blog do Mauro 2

 

Enfim veio a público o motivo do Governo de Mato Grosso não ter enviado ao Legislativo a proposta que fixa um Teto de Gastos à administração pública. O Executivo defende que o teto tenha como base o valor empenhado em 2016, ano em que duas parcelas do duodécimo não foram repassadas aos poderes.

 

Ajustes

Os representantes dos poderes defendem que o teto tenha por base o valor orçado naquele ano, que engloba os repasses constitucionais em atraso. Sem isso, dificilmente a proposta passará pelo crivo dos deputados estaduais.

 

Contornando a crise

Depois de repercussão negativa da criação da Secretaria Extraordinária para os 300 anos de Cuiabá, o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) tem buscado contornar a crise. Ele procura apoio de entidades e representantes do segmento cultural, mas está encontrando dificuldades.

 

Cabide

O que Pinheiro não entendeu é que a população está cansada de ser sacrificada enquanto vê o Poder Público aumentando seus gastos, muitas vezes sem nenhuma necessidade. A nova pasta nada mais é que a criação de 16 novos cargos para acomodar mais gente às custas do município.

 

Mais um solto

Na esfera da Polícia Militar, a notícia do dia foi a soltura do cabo Euclides Luiz Torezan, preso desde o dia 23 de junho. A decisão foi proferida pelo desembargador Orlando Perri. Dizem que o policial teve importante contribuição na elucidação do caso dos grampos, que caminha para a fase final.

 

Dia de libertação

Depois de quase dois anos preso, o ex-secretário Marcel Souza de Cursi conseguiu, enfim, a revogação de sua prisão preventiva. Embora alguns apostem em delação ou confissão, não há até o momento nenhuma indicação neste sentido. Aliás, o que ele poderia delatar?

 

Unidos

Os três senadores de Mato Grosso votaram a favor da reforma trabalhista, aprovada em votação definitiva no Senado. Se por um lado o resultado pode servir para o presidente Michel Temer (PMDB) comemorar, por outro pode representar o ponto final de sua gestão.

 

No muro

Aliás, terminou em nada a reunião da cúpula do PSDB para tratar de um eventual “desembarque” da gestão Temer. O encontro, realizado em São Paulo, contou com a participação do governador Pedro Taques. “Todos entenderam que diante da grave crise no país, em consenso, o partido deve liberar a Câmara para votar como melhor entender”.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei