Quarta-Feira, 19 de Julho de 2017, 19h:08

Tamanho do texto A - A+

Juiz abre prazo para adequações de acordo do VLT

Blog do Mauro 2

 

 

Após constatar que não houve nenhum avanço entre as partes, o juiz federal Ciro Arapiraca abriu prazo para que o Estado e o Consórcio VLT adequem à minuta de acordo, os problemas apontados pelos Ministério Públicos Federal (MPF) e Estadual (MP), contra os termos atuais do acordo.

 

Única saída

No despacho, Arapiraca destacou que sem a anuência dos MPs será impossível homologar o acordo firmado entre o governo e as construtoras, que garantiriam a retomada das obras de implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

 

Extrajudicial

Outra possibilidade aventada pelo magistrado é a realização de um acordo extrajudicial. O problema é que os MPs já anunciaram que, caso isso ocorra, diversas medidas deverão ser tomadas, o que poderia representar uma nova paralisação das obras.

 

Ajustes

Como o Estado já deu sinais de que pode rever alguns pontos da minuta, a expectativa é saber quando está disposto a ceder e se isso será suficiente para convencer os procuradores e promotores. O impasse está formado.

 

Na Justiça

A Executiva Nacional do Partido Socialista Brasileiro tenta reverter a decisão que cassou os efeitos da destituição do deputado Fábio Garcia do comando do partido em Mato Grosso. Até o momento, o parlamentar, substituído pelo também deputado Valtenir Pereira, segue na presidência.

 

Chorou, mamou

Depois de espernear, o Partido Verde desistiu de deixar a base de apoio ao governador Pedro Taques (PSDB). O partido deverá indicar um secretário adjunto, mais os ocupantes de alguns cargos de escalão inferior e, em troca, apoiará o tucano em uma eventual disputa à reeleição.

 

Grupo grande

Vai faltar vaga para a formação da chapa do grupo de apoio a Taques, no ano que vem. É preciso muita habilidade política para conseguir costurar um acordo, ou contar com uma traição, que pode vir, segundo as últimas conversas, de onde menos se espera.

 

Trocou de advogado

O procurador aposentado Francisco de Andrade Lima Filho, o Chico Lima, trocou de advogado. O fato pode significar a celebração de um acordo de colaboração premiada com o Ministério Público Estadual (MP) e Federal (MPF).

 

Ele sabe

Lima tem muito a revelar, não só sobre os fatos que já são conhecidos, mas, dizem, em episódios ainda não esclarecidos no âmbito da Operação Ararath, inclusive atingindo gente importante e com foro. A conferir.

 

Conselheiros

O ex-governador Silval Barbosa (PMDB) deu indicativos que a informação prestada pelo ex-secretário Pedro Nadaf, de que conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) teriam recebido propina, pode ser verdadeira. Ele chegou a ser questionado sobre o assunto pela juíza Selma Rosane Santos Arruda, mas não quis responder.

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei