Quinta-Feira, 02 de Novembro de 2017, 14h:19

Tamanho do texto A - A+

Governo chinês autoriza importação de carne brasileira

Blog do Mauro Cabeçalho

 

O ministro Blairo Maggi comemorou nesta quarta-feira (1) a decisão do governo chinês de autorizar a importação de carne de mais 22 plantas frigoríficas do Brasil. Segundo expectativa do ministro, a liberação pode render cerca de R$ 1 bilhão por ano ao país.

 

We Can

O senador José Medeiros, agora no Podemos, já colocou o partido na oposição ao governo Pedro Taques, candidato a reeleição. Destilou venenosos comentários sobre a “grampolândia pantaneira” nesta quarta-feira.

 

We forgot

José Medeiros, para quem não se lembra, não disputou eleição. Assumiu a cadeira no Senado por ser suplente de Pedro Taques (ainda no PSDB). Medeiros tentará se manter no Senado nas eleições do próximo ano, se seu partido conseguir encontrar um nome pra disputar o Governo.

 

Entrevero

Num dia o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) decide embargar obra do Estado. No outro, o governador Pedro Taques decreta a desapropriação do prédio da Secretaria de Cultura (antigo Moitará), que é de propriedade da Prefeitura. O confronto é jogo de perde-perde. Perdem os dois políticos, mas principalmente, perde Cuiabá.

 

Sai-não-sai

Nesta quarta-feira (1) o dia foi marcado por intensos boatos sobre suposta saída do governador Pedro Taques do PSDB. O que alimentou o assunto – e deu credibilidade para a informação – foi que assessores palacianos, todos muito próximos a Taques, trataram de disseminar a “notícia” pelas redes sociais.

 

Comunistas?

Taques teria recebido um convite para filiar-se ao PPS juntamente com o ex-presidente do Banco Central, Armínio Fraga e o apresentador Luciano Huck (que surge como pretenso candidato a presidente em 2018). Nenhum deles é filiado ao partido de Roberto Freire, mas, tudo indica, ambos tem a intenção de assinar ficha no antigo Partido Comunista Brasileiro (PCB).

 

Liberdade de pensar
Depois de deixar o PSB, o deputado federal Adilton Sachetti (sem partido) afirma procurar um partido que dê a ele liberdade de pensamento. Segundo Sachetti, é preciso haver flexibilidade para que ora pense como um parlamentar de direita, ora como de esquerda.

 

Indefinição

Até o momento conversas já foram feitas com o DEM, com o Podemos  e com o PP. “A sociedade não quer um partido. Quer alguém que resolva os problemas dela. Então tem que ser uma legenda mais liberal”, pontuou. 
 

Sem planos
Embora procure uma agremiação para se filiar, Sachetti garante ainda não ter planos para 2018. Não descarta sair à reeleição ou até mesmo disputar uma vaga majoritária. Ele vem sendo sondado para disputar o Governo.

 

Com planos
O líder do Governo na Assembleia, deputado Dilmar Dal' Bosco (DEM), disse nesta quarta-feira que a agremiação, embora esteja apoiando o governador Pedro Taques, pode lançar candidatura majoritária. Sachetti é o nome mais cotado, caso o parlamentar confirme sua filiação na legenda.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei