Terça-Feira, 17 de Outubro de 2017, 06h:00

Tamanho do texto A - A+

Decisões de Campbell vão determinar futuro da grampolândia

Blog do Mauro Cabeçalho

 

Após a decisão do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Mauro Campbell, que determinou a remessa de todas as investigações da grampolândia pantaneira para o STJ, a expectativa fica por conta dos primeiros despachos do magistrado, que deverão estar relacionados a pedidos de habeas corpus dos oito presos por conta da apuração.

 

Prazos

A questão, explicam juristas, tem a ver com o ritmo que será empregado no caso. Se mantiver os suspeitos presos, o processo conta com prioridade e a chamada marcha processual deverá ser célere. Se soltar os presos, ele terá mais tempo para analisar cada um dos procedimentos antes de decidir pelo desmembramento dos casos.

 

Voltam

Ao menos duas investigações devem voltar para Mato Grosso, uma que trata de promotores de Justiça e outra de magistrados. O que não se sabe é se as apurações retornarão ao desembargador Orlando Perri ou se seguirão para a Corregedoria do Tribunal de Justiça e a Procuradoria-Geral de Justiça.

 

Calma

Uma das primeiras ações após a decisão de Campbell é a busca por acalmar os ânimos de Perri e dos membros do Ministério Público Estadual (MP), acirrados ao longo da investigação. Trata-se de uma tarefa árdua, mas possível desde que os discursos sejam pautados pelo fato de que as divergências eram apenas jurídicas.

 

Sossego

Ao menos por enquanto, o governador Pedro Taques (PSDB) passa a ter mais tranquilidade. Isso porque é remota a possibilidade de que ocorram, ao menos por conta da grampolândia, novas prisões e afastamentos.

 

Sem vitória

Taques falou nesta segunda-feira (16) a respeito da decisão de Campbell. Para ele, a transferência dos inquéritos não é nem vitória e nem derrota, mas o simples cumprimento da lei. Vale lembrar que o pedido de avocação dos inquéritos partiu do tucano e contou com o aval do Ministério Pùblico Federal (MPF).

 

Inimigo

Um grupo de vereadores se prepara para apresentar um pedido de abertura de processo de cassação contra o vereador Felipe Wellaton (PV). O parlamentar foi o responsável pela apresentação de uma ação civil que culminou com o bloqueio da suplementação de R$ 6,7 milhões, assinada pelo prefeito Emanuel Pinheiro. Ele foi escolhido o inimigo do Legislativo.

 

Quem vai?

Ocorre que, de olho na opinião pública, nenhum vereador se prontificou, até o momento, a assinar o pedido contra Wellaton. Se isso ocorrer, o desgaste para o autor do pedido será enorme junto à população.

 

Sem pressa

Cotado no último final de semana como candidato ao governo de Mato Grosso, o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), afirmou que ainda não se decidiu sobre seu futuro político. A informação foi confirmada por pessoas próximas a ele, que classificam o fato como mentiroso neste momento.

 

Suspenso

O deputado federal Fábio Garcia (PSB) conseguiu, na Justiça, a suspensão da análise, por parte da Executiva Nacional do PSB, do pedido de expulsão formulado contra ele. Com isso, oparlamentar ganha tempo para negociar uma saída pacífica da sigla.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei