Terça-Feira, 05 de Setembro de 2017, 23h:43

Tamanho do texto A - A+

Câmara renova título de “Casa dos Horrores”

Blog do Mauro Cabeçalho

 

Depois que foram reveladas imagens do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), recebendo dinheiro do chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), a Câmara Municipal se esforçou em recuperar o título que os vereadores queriam sepultar, o de “Casa de Horrores”.

 

Arquivamento

Sob o argumento de falta de provas, os parlamentares arquivaram um pedido de impeachment de Pinheiro, protocolado por um servidor público, como se o vídeo não fosse auto-explicativo. Além disso, os vereadores trabalharam para manter no máximo sigilo a tramitação do pedido. Boa parte da imprensa só soube disso minutos antes do início da sessão.

 

Convocação

Outro pedido enterrado pela base de apoio foi o documento apresentado pelo vereador Gilberto Figueiredo (PSB), que cobrava a presença do chefe do Executivo em plenário para, enfim, fazer algo que ele deve todos os dias enquanto agente público: explicar o contexto das imagens e os motivos pelos quais encheu os bolsos com maços de notas.

 

Por escrito

A alegação da Mesa Diretora para este arquivamento foi a falta de previsão legal para este tipo de pedido e Figueiredo terá que formular as perguntas por escrito ao prefeito, que poderá responder, se quiser, também por escrito.

 

Na Justiça

Embora tenham o papel de fiscalizar os atos da gestão e as ações de quem quer que ocupe a cadeira do prefeito, o Legislativo está delegando seu papel ao Poder Judiciário. Além da possibilidade de Pinheiro ser afastado por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, uma ação civil foi protocolada pelo vereador Felipe Welaton (PV), um dos principais defensores da saída do peemedebista do cargo.

 

Perdedor

Não há dúvidas de que o maior “perdedor” com a delação de Silval foi Pinheiro. Ele viu sua carreira política, que havia atingido no ano passado, com boa estratégia e uma dose de sorte, um novo patamar, ruir. Entre os políticos esta é a avaliação majoritária.

 

Silêncio

Quem também tem tentado adotar o silêncio é o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, Eduardo Botelho (PSB). De volta ao trabalho, ele só se manifestará sobre os parlamentares flagrados, citados e denunciados na delação de Silval nesta quarta-feira (6).

 

Espera

A pessoas próximas, Botelho teria adiantado que ao Legislativo caberá aguardar as investigações do caso, que tramita no STF, antes de tomar qualquer decisão. Até porque, se a Casa decidir processar todos os envolvidos por uma eventual quebra de decoro, seria difícil reunir deputados para realizar estes “julgamentos”.

 

Armação

Entre os flagrados nos vídeos gravados por Sílvio Cezar Corrêa Araújo, o deputado José Domingos Fraga (PSD), aparentava enorme abatimento ao circular pelo Legislativo. Aos jornalistas, ele admitiu ter chorado com as imagens e disse que se trata de armação.

 

Contas

Ainda que seja uma armação e os fatos possam ser esclarecidos, é certo que Fraga não conseguirá concretizar um sonho que acalenta há vários anos, deixar o Parlamento e se tornar conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei



1 Comentários

Armindo de Figueiredo Filho Figueiredo - 06/09/2017

"""Câmara renova título de “Casa dos Horrores”""" NÃO HÁ MAIS JEITO!!!ESSE "APELIDO""Vai ficar para sempre. a não ser que exploda .. ou deixar de existir...... Está dado o R E CA D O ......

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA