Quarta-Feira, 01 de Novembro de 2017, 08h:34

Tamanho do texto A - A+

Ao soltar 7, Campbell ganha tempo para analisar grampolândia

Blog do Mauro Cabeçalho

 

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Muro Campbell, passa a contar com mais tempo para analisar os seis inquéritos instaurados por conta da grampolândia pantaneira. Se mantivesse presos os sete detidos por conta da Operação Esdras, o magistrado teria poucas semanas para decidir o futuro da apuração.

 

Na rua
A decisão de Campbell tirou da prisão os ex-secretários Paulo Taques, Airton Benedito Siqueira Júnior, Evandro Lesco e Rogers Jarbas, além da esposa de Lesco, a personal trainer Helen Christy Lesco e outros dois policiais. Os alvarás de soltura foram apresentados nas respectivas unidades prisionais ontem (31) à noite.

 

Afastados
Campbell impôs a todos eles uma série de medidas cautelares que passam pela entrega dos passaportes, comparecimento mensal ao juízo e, no caso daqueles que possuem cargo público, o afastamento das funções.

 

Na mesma
Juristas consultados sobre as pistas que a decisão de Campbell dá acerca de seu posicionamento acreditam que não é possível prever quais serão as próximas decisões. A expectativa fica por conta de uma eventual declaração de nulidade de boa parte da investigação, por conta da incompetência do desembargador Orlando de Almeida Perri, uma vez que um dos investigados conta com prerrogativa de foro junto ao STJ.

 

E eles?
Estão sob a jurisdição de Campbell os casos únicos presos no momento por conta da grampolândia pantaneira, o coronel Zaqueu Barbosa e o cabo Gérson Corrêa Júnior. Resta saber qual será o posicionamento do ministro acerca dos dois policiais, presos desde maio deste ano, quando o escândalo eclodiu.

 

Impasse
A bancada federal de Mato Grosso está rachada. Uma parte dos deputados e senadores defende que os R$ 126 milhões da emenda impositiva para este ano seja dividida entre a Prefeitura de Cuiabá e o Governo de Mato Grosso e a outra entende que todo o recurso deve seguir para o Tesouro Estadual. A situação deverá ser resolvida na próxima semana, mas não sem intensas discussões.

 

Risco
A postura do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), em não abrir mão dos recursos para equipar o novo Pronto-Socorro de Cuiabá pode colocar a emenda em risco. Isso porque ele tem um prazo curto para apresentar o projeto da unidade hospitalar. Se isso não ocorrer até o final do ano, a verba é perdida.

 

Choque
Aliás, Pedro Taques (PSDB) e Pinheiro estão em rota de colisão. O novo episódio ocorreu com o embargo por parte da Secretaria Municipal de Mobilidade das obras da trincheira no entrocamento das rodovias MT-251 e MT-010. A alegação do município é a de que o Estado não fez as intervenções necessárias nas rotas alternativas.

 

Na frente
Sempre afoito, o vice-presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, Renivaldo Nascimento (PSDB), atropelou a presidência do Legislativo e o líder do prefeito na Casa, Justino Malheiros (PV) e Lilo Pinheiro (PRP), respectivamente, e assumiu a defesa do prefeito da Capital. Membros da base ficam aliviados, uma vez que com isso o tucano vai assumindo todo o desgaste que a postura gera.

 

Debutante
O presidente da Assembleia Legislativa, Edurado Botelho (PSB) assumirá pela primeira vez o Governo de Mato Grosso. Ele fica no cargo, interinamente, durante a viagem de Taques à China.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei