Terça-Feira, 27 de Novembro de 2018, 17h:49

Tamanho do texto A - A+

Troque o medo por esperança

É preciso saber que as causas de câncer podem ser externas ou internas

Por: Gilmar Ferreira do Espírito Santo

 

diivulgação

Gilmar Ferreira do Espírito Santo

 

O câncer é a segunda principal causa de morte dos brasileiros. Mas é possível mudar esse quadro com a prevenção e a detecção precoce. Daí a importância de datas como o Dia Nacional de Combate ao Câncer (27 de novembro). Ele foi instituído pelo Ministério da Saúde em dezembro de 1988, com a finalidade de mobilizar a população quanto aos aspectos educativos e sociais no controle da doença.

 

Ele vem para somar com o dia mundial (4 de fevereiro), para alertar que o câncer, assim como outras doenças não-transmissíveis, adquire características diferentes em cada país. Elas podem estar relacionadas, por exemplo, ao nível de desenvolvimento econômico, clima, aspectos culturais como alimentação. Isto porque câncer nada mais é do que o nome genérico para um grupo de mais de 200 doenças que têm em comum o crescimento desordenado de células que invadem os tecidos e órgãos, e podem se espalhar pelo corpo.

 

Embora existam muitos tipos de câncer e milhões de pessoas que já tiveram câncer ou estão vivendo com a doença, ele não é mais considerado uma sentença de morte. Os avanços da Oncologia e o diagnóstico precoce têm feito com que muitos pacientes sejam tratados com alto índice de sucesso. Ou seja, ter hábitos saudáveis, estar atento aos sintomas, fazer exames regulares e procurar um especialista podem fazer toda a diferença.

 

Ter uma postura positiva em relação ao câncer também é importante. É nesse sentido que segue a campanha deste ano da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO), cujo mote é “Troque o medo pela esperança”. Em boa parte dos casos, a desinformação em relação às causas e as possibilidades que o paciente tem gera grande temor e, consequentemente, desesperança de vitória na luta contra este que é um dos principais males do mundo moderno.

 

Portanto, é preciso saber que as causas de câncer podem ser externas ou internas ao nosso organismo e podem interagir de muitas maneiras, aumentando a probabilidade de células normais transformarem-se em malignas. Pesquisas mostram que 80% a 90% dos casos relacionam-se ao meio ambiente e aos hábitos ou costumes próprios de nosso meio social e cultural. As internas, na maioria das vezes são hereditárias e ligadas à capacidade do organismo de se defender das agressões externas.

 

Com base nessas informações, podemos afirmar, com certeza, que evitar ou parar de fumar é fundamental para a prevenção, o mesmo em relação à ingestão de bebidas alcóolicas. Assim como ter uma alimentação saudável, com a ingestão de mais frutas, legumes, verduras, grãos e cereais integrais, e menos alimentos gordurosos, salgados e enlatados. Fazer pelo menos 30 minutos diários de atividade física, leve ou moderada, também é importante, mas é bom lembrar que a exposição prolongada ao sol entre 10h e 16h pode ser prejudicial.

 

Com o passar do tempo, a possibilidade de incidência de certos tipos de câncer aumenta, portanto fique atento aos exames que são aconselháveis tanto para homens como mulheres em cada faixa etária. Neles, a partir dos 50 anos é preciso investigar o câncer de próstata. Para elas, a indicação é que, com 40 anos ou mais, façam o exame clínico das mamas anualmente. Para ambos, outra dica é consultar o dentista regularmente, além de realizar diariamente a higiene oral.

 

É preciso estar sempre atento. E, claro, acreditar na vida e jamais perder a esperança!

 
*Gilmar Ferreira do Espírito Santo é cirurgião oncológico na clínica Oncomed
 
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei