Terça-Feira, 10 de Outubro de 2017, 15h:19

Tamanho do texto A - A+

Reage MT

O combate contra a corrupção precisa ser preventivo e não apenas após o fato

Por: LEONARDO CAMPOS

Assessoria

Leonardo Campos

 

Muitos dos fatos recentes envolvendo escândalos de corrupção e de vilipendio ao patrimônio público têm sido encarados por muitos interlocutores da sociedade como uma forma de expurgação. Mato Grosso e o país estão vivendo uma fase decisiva na qual as investigações exercidas pelos órgãos de controle estão expondo os crimes e atos ilícitos de pessoas públicas, eleitas ou não, cuja função deveria ser a promoção de um estado democrático de direito com idoneidade e transparência.

 

Todavia, a sociedade civil organizada assim como toda a sociedade não pode passar diante dos fatos sem se engajar e sem exercer sua prerrogativa de fonte de onde emana o poder. Foi pensando neste pressuposto que a Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT) liderou a criação do movimento “Reage MT”.

 

O Reage MT é formado por 57 entidades da sociedade civil, com representantes de todos os setores econômicos, entidades, associações e sindicatos representativos de classe. Esse movimento surgiu com o intuito de se promover um debate profundo com os horizontes que precisam ser enxergados seja dentro dos poderes públicos seja na sociedade como um todo.

 

Essa é uma premissa que indica que nós sociedade precisamos instituir meios de perseguição à corrupção e eliminar esse vício em todos os sentidos e âmbitos sociais para que um dia, espero que não tão distante, possamos colher os frutos de uma sociedade democrática, livre, moderna e que atenda com eficácia as demandas de todos os cidadãos.

 

Este engajamento se faz necessário porque o combate contra a corrupção precisa ser preventivo e não apenas após o fato. Exemplo disso é que nós sociedade só tivemos conhecimento dos desvios de mais de R$ 1 bilhão após a delação premiada do ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa.

 

É angustiante pensar que outros montantes que supostamente possam ter sido desviados dos Cofres Públicos, e que talvez muito desse dinheiro nem volte mais para onde deveria que é a serviço do povo, só virão a conhecimento público caso haja novas delações premiadas.

 

Não venho aqui criticar o instituto jurídico da delação premiada, afinal graças a este subsídio legal é que muitas organizações criminosas estão sendo desfeitas. O que critico é o fato de que ainda estamos em um grau de evolução social no qual atitudes behavioristas precisam ser estimuladas para que criminosos falem a verdade. Isso, sem sombra de dúvidas chega a ser infantil e no mínimo uma agressão ao bom senso.

 

Por essa razão que o movimento Reage MT quer envolver toda a sociedade nessa luta de conscientização coletiva da importância de construirmos novos rumos para o estado de Mato Grosso e para o país.

 

Por fim, fica o convite para que mais entidades representativas de classe e toda a sociedade faça parte do Reage MT, essa é uma luta que estamos construindo em conjunto para colhermos frutos prósperos de justiça, dignidade, direitos e cidadania.

 

*LEONARDO CAMPOS é presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso (OAB-MT).

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto




1 Comentários

Carlos Nunes - 10/10/2017

Os mais de 70 Executivos da Odebrecht, que fizeram a relação premiada, já deram informações suficientes pra elaborar um Manual de Corrupção completo...de A a Z. Revelaram que o maior ralo de Corrupção no Brasil são AS LICITAÇÕES. Depois dessa precisaria mão de ferro, vigilância rigorosa, policiamento, em todas AS LICITAÇÕES milionárias. Quem sabe colocar as Forças Armadas pra tomar conta do dinheiro...Aí, nunca mais vai aparecer Corrupção, pois corruptor, corrupto, pode ser esperto pra burro, mas não é besta. .

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA