Segunda-Feira, 11 de Setembro de 2017, 11h:58

Tamanho do texto A - A+

Cuiabá já utiliza nova técnica para tratar câncer no sistema nervoso central

Esta técnica garante um tratamento menos incômodo e indolor

Por: ROGER ROTTA

 

divulgação

roger rotta

 

Muitos tipos de tumor têm origem no cérebro e na medula espinhal, que, juntos, compõem o sistema nervoso central (SNC). Eles podem surgir em diferentes áreas e são passíveis de tratamento menos doloroso e mais eficaz para o paciente com a implantação do reservatório de Ommaya, um dispositivo, em forma de cúpula, colocado por sob o couro cabeludo, para acesso ao ventrículo lateral do cérebro através de um cateter, e destinado a aplicação de quimioterapia intratecal.

 

Essa técnica adotada nos grandes centros do mundo e do Brasil é disponível tanto no Sistema Único de Saúde (SUS) quanto coberto por planos de saúde e particular também. Esta técnica garante um tratamento menos incômodo e indolor para o paciente que tenha indicação de quimioterapia intratecal, possibilitando uma melhor qualidade de vida e o menor risco de infecção devido punções lombares seriadas, apesar do tratamento quimioterápico.

 

Vamos entender como funciona, até o surgimento do implante de reservatório de Ommaya a quimioterapia era feita através de punções lombares diárias, que são dolorosas e aumentam o risco de infecção em pacientes já imunossuprimidos, tanto pela quimioterapia e radioterapia sistêmica como pelo próprio câncer.

 

Com a instalação do reservatório de Ommaya, a medicação é injetada diretamente no sistema ventricular do cérebro, sem a necessidade de punções lombares diárias; possibilita também de forma menos indolor e rápida,  a coleta de liquido cefalorraquidiano para análise e seguimento terapêutico. O reservatório de Ommaya também pode ser utilizados em casos aonde a quimioterapia intratumoral está indicada, bem como é utilizado em alguns trials com immunotepaia. O procedimento é feito aqui mesmo em Cuiabá em poucas horas e é muito utilizado em crianças nos grandes centros. Aqui em Mato Grosso realizamos o primeiro implante numa mulher de 41 anos há uma semana com grande sucesso.

 

A principal vantagem da técnica é que os quimioterápicos tem uma dificuldade de ultrapassar a barreira hematoencefálica quando administrado por via sistêmica, diminuindo assim o efeito no sistema nervoso central, com essa técnica a medicação consegue chegar com elevada concentração independentemente de suas propriedades físico-químicas.

 

Sabemos que qualquer tratamento para câncer é difícil tanto para o paciente quanto para os familiares, mas não quer dizer também que o paciente está condenado à morte. Com as novas tecnologias em conjunto com as novas técnicas podem garantir uma maior sobrevida global e sobrevida livre de doença com uma melhor qualidade de vida para o paciente com câncer.

 

*ROGER ROTTA é Neurocirurgião Oncologico, Membro titular da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, Fellowship em Oncological Neurosurgery no MD Anderson Cancer Center em Houston - Tx, além de Coordenador da Residência em Neurocirurgia no HGU em Cuiabá, é pioneiro no implante do reservatório de Ommaya em Mato Grosso e ressecção de tumores cerebrais com paciente acordado.  EMAIL: roger.rotta@hotmail.com

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei