Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 10h:21

Tamanho do texto A - A+

As chaves da prosperidade – 2

Buscamos a prosperidade com tanta intensidade porque nós já a conhecemos um dia. Em um momento de nossa Vida nós a vivenciamos na sua plenitude e queremos retornar a esse estado

Por: DUMARA VOLPATO*

Divulgação

Dumara Volpato

 

 

Você já se perguntou por qual razão é tão natural o ser humano desejar a prosperidade? Por que as vezes é tão difícil chegar ao estado de abundância? Hoje conversaremos mais a respeito desse assunto; compartilharei um pouco  das experiências que vivenciei através das constelações familiares.

No artigo anterior falamos do conceito de prosperidade e da primeira chave que abre essa porta, se lembram?  Vamos relembrar.  A prosperidade não está ligada somente a questão de ter ou não dinheiro. O estado de abundância é muito mais amplo que isso; estamos aqui nos referindo a uma força de compensação que move o universo, que trabalha através da gratidão e do doar de si, uma energia que nos provém com o que necessitamos para viver e não sobreviver, é uma condição superior à sobrevivência.

O primeiro passo em direção a esse caminho é o agradecimento. Agradecer a Vida, tal como ela é.  A partir do momento em que começamos a aceitar, agradecer a Vida como ela é, ou seja, estar em sintonia com ela, começamos a atrair dinheiro através da abundância e podemos dar o segundo passo.

Iniciei esse texto com uma pergunta e gostaria de respondê-la agora. Nós buscamos a prosperidade com tanta intensidade porque nós já a conhecemos um dia.  Em um momento de nossa Vida nós a vivenciamos na sua plenitude e queremos retornar a esse estado.

Quando nós estávamos no útero da nossa mãe, experimentamos o mais amplo estado de prosperidade, recebemos tudo que era necessário para viver. É nesse momento que recebemos toda a força da abundância da natureza, que nos permitiu chegar até aqui, nos fazendo capazes de existir.

Então, para andar de mãos dadas com a prosperidade, nós precisamos tomar nossos Pais do jeito que são. Esse tomar, segundo visão sistêmica, significa aceitar incondicionalmente nossos pais, imperfeitos da maneira que são, independentemente do que tenha se passado, afinal,  por meio deles é que estamos vivos.

Esse é um trabalho mais profundo, pois necessariamente passa por conflitos emocionais que temos em relação a eles. Repito: É fundamental que aceitemos a nossa mãe e o nosso pai do jeito que são, amá-los incondicionalmente e agradecê-los por serem tal como são. E isso serve para aqueles que conheceram ou não os pais, que puderam viver ou não com eles, esse agradecimento pode ser feito a partir do coração, já que seu DNA reconhece a existência dessa mãe e desse pai e seu subconsciente os conhece através da sua memória genética.

Tive a oportunidade de participar de uma constelação na qual um senhor levou uma questão: ele estava com dificuldades financeiras e, por mais que trabalhasse, os ganhos não eram suficientes para atender suas necessidades. Dedicou seu tempo a negócios que só traziam prejuízo para sua família, sentia que não lhe era permitido vivenciar a abundância em sua vida.

Quando se abriu a Constelação, revelou-se que em sua história, há quatro gerações anteriores, houve uma briga familiar que resultou na morte de uma das matriarcas da família. A partir daquele momento, todas as mulheres em seu sistema familiar eram tratadas com desdém e com repulsa.

Esse movimento ocasionou a consequência de que eles não conseguiam sucesso financeiro há várias gerações. Quando algum membro do sistema conseguia ganhar dinheiro, uma culpa invadia o seu coração de tal modo que o mesmo, inconscientemente, fazia o impossível para se livrar dos ganhos recebidos, ocasionando, com isso, os prejuízos.

Parecia que fora ceifada a prosperidade daquele sistema familiar. Diante de tal cenário, o facilitador da constelação oportunizou ao cliente que ele se reconciliasse com aquele passado doloroso,  mostrando-lhe que, naquela ocasião, seus antepassados fizeram o que conseguiram de acordo com as condições que tinham no momento. Na sequência ele iniciou um movimento de gratidão àquela matriarca que perdeu a Vida e a todas as mulheres que vieram nas gerações seguintes, reconhecendo o valor de cada uma até chegar à sua avó paterna.

Então, se curvou diante da figura do seu pai e de sua mãe, aceitando-os e os agradecendo tal como são. Hoje sabemos que ele abriu em um novo empreendimento com facilidade e está bem financeiramente e continua trabalhando para que a prosperidade faça morada em sua casa.

As constelações nos revelam que essa ação de “tomar os pais” representa mais uma chave para a prosperidade, pois, quando se aceita e agradece verdadeiramente a mãe, do jeitinho que ela é, vem a saúde, vem o êxito, vem o sucesso, vem amor e vem a abundância, e quando se aceita e agradece o pai tal como é, nos é permitido estar na força do trabalho e da realização profissional. Assim, caminhamos mais um passo em direção a prosperidade.

(*) DUMARA VOLPATO é advogada e Terapeuta em Constelação Familiar  com Curso em Hellinger Sciencia pelo Instituto Hellinger do Brasil; Formação em Constelação Familiar pelo Instituto CreSer de Campo Grande – MS; Curso de Aprofundamento em Novas Constelações e Curso de Análise Transacional pelo Instituto de Constelações Familiares Brigitte Champetier; e Praticante Profissional de Cura Reconectiva e Reconexão, pelo The Reconection, Califórnia – EUA. E-mail: dumaravolpato@gmail.com

Avalie esta matéria: Gostei +10 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto