Domingo, 12 de Agosto de 2018, 08h:00

Tamanho do texto A - A+

Agosto Branco: mês de conscientização e alerta para o câncer de pulmão

O tabagismo é responsável por 90% das ocorrências

Por: EDUARDO DICKE

Pedro Ivo

Eduardo Dicke

 

O câncer de pulmão é um dos tumores com a maior taxa de mortalidade e, no Brasil, principal causa de óbito pela doença entre homens e a segunda entre as mulheres. E é por isso que este mês a Oncomed – Clínica de Tratamento Multidisciplinar do Câncer criou a campanha de conscientização do “Agosto Branco”. 

 

O tabagismo é responsável por 90% das ocorrências. O cigarro é a causa de 9 em cada 10 casos de câncer de pulmão em homens e cerca de 8 em cada 10 casos em mulheres. Muitos pacientes apresentam outras doenças relacionadas ao tabagismo, como a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) ou enfisema, e a cardiopatia coronariana. 

 

O dr. Eduardo Dicke ressalta que não há como falar em prevenção sem tocar na questão do combate ao tabagismo e faz um alerta ao chamado tabagista “passivo”. Aquele que nunca colocou um cigarro na boca, mas conviveu e inalou por muito tempo a fumaça deles. “Do ponto de vista médico, ele é considerado um tabagista e está no grupo de risco”, frisa.   

 

Apesar de o cigarro ser o principal vilão quando o assunto é câncer de pulmão, existem outros fatores de risco, como fatores genéticos e história familiar, exposição à fumaça ambiental e exposição à produtos tóxicos como asbestos e sílica. “No entanto, o câncer de pulmão é uma doença pouco comum em quem não fuma. Logo a luta anti-tabagismo deve ser uma responsabilidade compartilhada entre toda a sociedade e todos os profissionais da área da saúde”, ressalta. 

 

Dicke alerta para os riscos deste tipo de tumor e ressalta que um dos grandes problemas é a demora no diagnóstico, pois a doença é silenciosa. Segundo ele, metade das pessoas chega ao consultório quando a doença está em estágio avançado. “Isto compromete o tratamento, pois a grande maioria não tem condições de tratamento cirúrgico, por exemplo”. Isto exige dedicação individualizada ao tratamento multidisciplinar para agregar bem-estar e qualidade de vida ao paciente.

 

Os sintomas do câncer de pulmão são: falta de ar, tosse, sangramento na tosse, infecções respiratórias, dor torácica, nódulos no pescoço. O especialista pondera ainda que qualquer sintoma prolongado, persistente por mais de 15 dias precisa procurar um médico e fazer a avaliação e os exames adequados. 

 

A taxa de mortalidade depende muito do estágio em que a doença é diagnosticada. Para mudar a realidade atual, a Medicina tem avançado muito nos últimos anos e é por isso que nos pacientes de risco, principalmente os de antecedentes de tabagismo prolongado ou com histórico familiar da doença, o exame de tomografia computadorizada de alta resolução tem sido incluído nos exames de check-up, o que permite a detecção de casos precoces com maior possibilidade de tratamento cirúrgico.

 

É um órgão difícil, não é simples o diagnóstico, depende de biopsia pulmonar que é um exame complexo, mas necessário. Os tratamentos variam, mas podem incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia, terapia com drogas direcionadas e imunoterapia. Novos testes moleculares permitem definir a melhor terapia alvo-específica.
 
*EDUARDO DICKE é oncologista clínico da Oncomed.
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto