Terça-Feira, 02 de Outubro de 2018, 08h:41

Tamanho do texto A - A+

Tecnologias são base para diversos nichos de mercado, dizem especialistas

Por: REDAÇÃO

O ritmo do mercado de trabalho será ditado pelo avanço da ciência e da tecnologia. Muitas profissões poderão desaparecer e outras serão criadas a partir das tendências sociais, das demandas da população e também das novas exigências profissionais. Acompanhar as mudanças e preparar-se para atender as necessidades do mundo corporativo são recomendações de especialistas no assunto.

 

Divulgação

CoMCITE

 

De acordo com Normandes Matos da Silva, doutor em Ecologia, professor da Universidade Federal de Mato Grosso, o uso de tecnologias em vários setores da economia é um caminho sem volta e representa a base para diversos nichos do mercado de trabalho. “Precisamos agregar na educação básica e superior esses avanços, para prepararmos adequadamente nossos futuros profissionais”.

 

Para Eleri Hamer, Diretor de Relações com o mercado da IBG Business School, o avanço tecnológico e as mudanças sociais multiplicam desafios na economia, no mercado de trabalho e na qualificação profissional. “O uso de tecnologia é inevitável e necessariamente crescente para quem quiser se manter competitivo no mercado em qualquer setor”.

 

Esses e outros assuntos serão apresentados pelos dois especialistas e demais profissionais durante o 2º Congresso Mato-grossense de Ciência, Inovação, Tecnologia e Educação -  CoMCITE – que acontecerá dias 02 e 03 de outubro na sede da Escola Técnica Estadual de Rondonópolis.

 

Normandes da Silva irá participar terça-feira (2), às 19h00, da mesa redonda “Uso de veículos aéreos não tripulados (VANTs) nos setores produtivos de Mato Grosso. Segundo ele, o objetivo da palestra é apresentar o potencial das aeronaves remotamente pilotadas no setor da consultoria ambiental.

 

“Discutirei quais são os desafios atuais em termos de operação das aeronaves, os produtos a serem gerados e o público-alvo beneficiado. Algo importante a ser debatido reside no perfil de quem pode empreender nesse setor tecnológico”, explica o especialista.

 

Já Eleri Hamer irá fazer parte da mesa redonda, na quarta-feira (3), às 19h00, que tem como tema “O impacto das mídias digitais para empreender”. Conforme Hamer, as mídias digitais são uma das ferramentas tecnológicas que podem ajudar no desenvolvimento de um negócio, mas que não fazem nenhum milagre se o sistema de gestão da empresa (pequena, média ou grande) não estiver integrado.

 

“É importante entender que a grande questão é que a lógica de mercado mudou. Primeiro “as empresas buscavam e escolhiam os clientes” e agora “os consumidores, dada a ampla gama de possibilidades, escolhem as empresas”. Esse aspecto tornou o uso do marketing mais dinâmico e profissional. Então nesse sentido, a grande utilidade das mídias digitais é tornar-se visível, muitas vezes a um custo um pouco menor”, acrescenta Hamer.

 

Para o especialista, a dinamicidade que essa ferramenta permite, traz por outro lado uma grande demanda de acompanhamento. “E isso dá muito trabalho, ao contrário do que a maioria das pessoas pensam”, conclui Hamer.

 

Interessados em aprender e dialogar com estes especialistas e demais que fazem parte da equipe técnica do CoMCITE podem fazer, gratuitamente, inscrição no site bit.ly/2comcite.

 

O evento está sendo realizado com o financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso (FAPEMAT), tem apoio de parceiros e é promovido pela Escola Técnica Estadual de Rondonópolis.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei